Mundo

Serviços secretos dos EUA acusam príncipe saudita de aprovar a morte de Khashoggi

David Alves

David Alves

Editor de Imagem

O jornalista de 59 anos foi assassinado em 2018 e foi visto pela última vez a entrar no Consulado saudita em Istambul.

O relatório das autoridades norte-americanas acusam Mohammed bin Salman, Príncipe herdeiro Saudita, de estar por trás da ordem de matar Jamal Khashoggi.

O jornalista foi durante anos conselheiro da família real, mas tornou-se crítico do regime e acabou por exilar-se nos Estados Unidos.

Na altura, Riade confessou que o jornalista morreu no edifício depois das negociações para que regressasse ao país terem falhado.

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo