Mundo

Nicolas Sarkozy condenado a três anos de prisão por corrupção e tráfico de influências

POOL New

Um dos anos em prisão efetiva. Sarkozy, que vai recorrer da condenação, torna-se o segundo chefe de Estado condenado em França, depois de Jacques Chirac em 2011.

O antigo Presidente francês Nicolas Sarkozy foi condenado a três anos de prisão, um deles em prisão efetiva, e o resto como pena suspensa. A decisão do Tribunal de Paris foi conhecida esta segunda-feira. Sarkozy torna-se assim o segundo chefe de Estado condenado em França, após Jacques Chirac em 2011.

Sarkozy, que esteve presente na audiência, não irá, no entanto, para a prisão, já que o tribunal o autorizou a ficar detido em casa com uma pulseira eletrónica.

Os crimes em causa

Em causa estão crimes de corrupção ativa e tráfico de influências. Sarkozy foi acusado de subornar um juiz em troca de informações num processo em que estava a ser investigado relativamente ao financiamento ilegal da campanha presidencial de 2007 pela mulher mais rica da França, a herdeira da L'Oreal Liliane Bettencourt.

Nas escutas que sustentaram a acusação, Sarkozy prometeu ao magistrado um posto no Conselho de Estado do Mónaco. O ex-presidente francês foi julgado em conjunto com o antigo alto magistrado Gilbert Azibert e Thierry Herzog, advogado histórico de Sarkozy.

O tribunal disse que os factos são "particularmente graves", visto que foram cometidos por um ex-Presidente que usou o seu estatuto para fins pessoais. Os outros dois réus no caso também foram considerados culpados e receberam a mesma sentença.

Sarkozy, de 66 anos, foi Presidente entre 2007 e 2012. Diz estar inocente e considera que as acusações são uma infâmia.

Sarkozy vai recorrer da condenação

O ex-Presidente francês vai recorrer da condenação, anunciou a sua advogada Jacqueline Laffont.

Após este "julgamento extremamente severo" e "totalmente infundado e injustificado", Nicolas Sarkozy "está calmo mas determinado em prosseguir a sua demonstração de inocência", assegurou Laffont.

Benoit Tessier

A primeira vez na história moderna da França que um ex-Presidente é julgado por corrupção

O antecessor de Sarkozy, Jacques Chirac, foi considerado culpado em 2011 por mau uso de dinheiro público e recebeu uma sentença de dois anos de prisão com pena suspensa por ações durante o seu período como autarca de Paris.

Sarkozy enfrentará outro julgamento no final deste mês, juntamente com outras 13 pessoas sob a acusação de financiamento ilegal da sua campanha presidencial de 2012.

“É, no mínimo, uma enorme humilhação”

Rui Cardoso considera que o peso político desta condenação, ainda que em primeira instância, é devastador, pelo que uma candidatura às Presidenciais franceses de 2022, “acalentada” por alguns setores da direita, “quase de certeza não vai acontecer”.

“O que resulta daqui é evidentemente uma tremenda diminuição do pouco peso político que Sarkozy ainda pudesse ter”, afirma o jornalista, defendendo que a condenação “é, no mínimo, uma enorme humilhação”.

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo