Mundo

Detido suspeito de roubo de quadros de Van Gogh e Frans Hals

"O Jardim da Paróquia de Nuenen", de Van Gogh, datado de 1884

Obras ainda não foram encontradas.

A polícia holandesa prendeu terça-feira um homem de 58 anos suspeito de ter roubado dois quadros dos pintores holandeses Vincent van Gogh e Frans Hals de museus dos Países Baixos.

As obras, intituladas "O Jardim Paroquial de Nuenen na Primavera" e "Dois Rapazes Rindo", respetivamente, ainda não foram encontradas, declarou a polícia em comunicado.

O suspeito, originário de Baarn, no centro dos Países Baixos, foi detido hoje de manhã em casa, acrescentou a polícia, classificando a detenção como « uma etapa importante » da investigação.

"Durante meses, investigações intensivas sobre o roubo dos quadros foram desenvolvidas sob a direção do Ministério Público", conduzindo finalmente à detenção do suspeito, acrescentou a mesma fonte.

"O Jardim da Paróquia de Nuenen", de Van Gogh, datado de 1884, foi roubado na noite de 30 de março de 2020 no museu Singer Laren, situado a cerca de 30 quilómetros de Amesterdão e que se encontrava fechado devido à pandemia de covid-19.

O roubo ocorreu no mesmo dia do mês em que há 167 anos nascera o mestre holandês pós-impressionista, 30 de março de 1853.

O valor do quadro está estimado entre um e seis milhões de euros, segundo Arthur Brand, um perito em arte holandês.

O especialista em arte recebeu dois meses após o furto duas fotografias do quadro, acompanhadas de uma data do jornal New York Times, provando, segundo o próprio, que a obra roubada ainda existe.

O quadro do mestre da idade de ouro da pintura holandesa Frans Hals foi roubado cinco meses após a obra de Van Gohg, no museu Hofje van Mevrouw van Aerden de Leerdam.

A pintura, que representa dois jovens a rir com uma garrafa de barro, havia já sido roubada do mesmo museu em 2011 e em 1988, tendo sido recuperada ao fim de seis meses e de três anos, respetivamente.