Mundo

Temporal destrói abrigo para migrantes na cidade brasileira de Manaus

RAPHAEL ALVES

De acordo com um balanço inicial, 41 pessoas ficaram desalojadas e vão ser direcionadas para abrigos municipais.

A chuva torrencial que está a atingir Manaus, na região amazónica, destruíram um abrigo que acolhia, sobretudo, migrantes venezuelanos e haitianos, noticiou na segunda-feira a imprensa local.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a força da água alagou ruas e derrubou um muro, arrastando as tendas montadas no terreno daquele abrigo, numa das principais avenidas de Manaus, capital do estado do Amazonas.

A enxurrada fez com que muitos migrantes a viver no local perdessem todos os documentos e pertences. Equipamentos da administração do abrigo, como computadores e frigoríficos, também ficaram danificados.

Pelo menos três pessoas ficaram ligeiramente feridas.

"Não há vítimas no local, porém três pessoas tiveram escoriações leves, sem nada de gravidade maior. Danos maiores foram os documentos da triagem [dos imigrantes que chegam à cidade]", declarou à imprensa o tenente Galeno, do Corpo de Bombeiros local.

De acordo com uma análise preliminar da situação feita pela Defesa Civil, 41 pessoas ficaram desalojadas e vão ser direcionadas para abrigos municipais.

Diante do fluxo cada vez maior de migrantes venezuelanos em Manaus, o Governo brasileiro decidiu estender a "Operação Acolhida", anteriormente restrita ao estado de Roraima, para a capital do Amazonas.

A chegada em massa de venezuelanos ao Brasil, em fuga da crise, começou no final de 2017, o que levou as autoridades brasileiras a lançar, em 2018, a "Operação Acolhida", destinada a abrigar migrantes do país vizinho.