Mundo

Índia retirou mais de 135 mil pessoas na costa oeste devido ao ciclone Tauktae

Amit Dave

Previstos ventos até 185 quilómetros por hora.

A Índia retirou mais de 135.000 pessoas na costa oeste do país antes da chegada do ciclone Tauktae com ventos até 185 quilómetros por hora enquanto o país regista o maior número de casos covid-19 no mundo.

"É muito provável que se mova de norte para noroeste e alcance a costa de [estado de] Gujarat na tarde de hoje", segundo o Departamento de Meteorologia da Índia (IMD).

O Tauktae, que atualmente está sobre o Mar da Arábia, deverá chegar à costa do estado ocidental ao início da noite, com ventos de 144 a 165 quilómetros por hora e rajadas que podem chegar a 185 quilómetros por hora, de acordo com o IMD.

A autoridade meteorológica do país prevê extensos danos materiais na região e, além de Gujarat, o ciclone também deverá afetar outras regiões, como o oeste de Maharashtra.

O IMD também emitiu um alerta de inundações em várias áreas costeiras e pediu a suspensão de todas as atividades de pesca e a evacuação dos moradores das áreas mais afetadas.

Um alto funcionário do governo de Gujarat, Pankaj Kumar, disse em comunicado que as autoridades já retiraram mais de 135.000 pessoas devido ao ciclone.

A Força Nacional de Resposta a Desastres da Índia (NDRF) indicou, na rede social Twitter, que colocou 101 equipas em seis estados para ajudar na evacuação e nos esforços de resgate.

A passagem do ciclone ocorre numa altura em que a Índia continua a registar o maior número de infeções no mundo, com 281.386 casos e mais de 4.000 mortes.

A costa indiana é frequentemente atingida por ciclones, um dos últimos em dezembro, quando Burevi atingiu o sul do país, causando pelo menos sete mortos e danos em centenas de casas.

Em maio de 2020, o superciclone Amphan matou mais de cem pessoas na Índia e no Bangladesh.