Mundo

Biden devolve e reorienta aplicação de fundos destinados ao muro de Trump

KEVIN LAMARQUE

Joe Biden suspendeu a construção do muro assim que tomou posse, enquanto o seu governo revia o projeto.

O governo do presidente dos EUA, Joe Biden, anunciou esta sexta-feira medidas que vão diminuir o estatuto, que permitia contornar legislação ambiental, e o financiamento do projeto de muro fronteiriço do seu antecessor, Donald Trump.

Biden pretende devolver mais de dois mil milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros) que o governo de Donald Trump tinha retirado ao Pentágono para ajudar a financiar o muro e usar outros montantes, apropriados pelo Congresso, para responder a "problemas urgentes de visa, segurança e ambiente", criados pela construção.

Além daquela devolução e reorientação dos fundos, Biden já solicitou aos congressistas para não afetarem mais verbas a este projeto de Trump.

Ao longo de décadas, os governos dos EUA construíram muros e outras barreiras ao longo da fronteira com o México, que se estende por 3.200 quilómetros, para eliminar algumas das entradas mais fáceis no país.

O Executivo de Trump construiu 725 quilómetros de muro, mas destes apenas em 84 quilómetros não havia qualquer barreira à entrada nos EUA.