Mundo

Ministros dos Negócios Estrangeiros europeus aprovam novas sanções à Bielorrússia

Augusto Santos Silva diz que Lukashenko está isolado.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros aprovaram esta segunda-feira um novo pacote de sanções à Bielorrússia. Continua a pressão sobre o regime de Alexander Lukashenko, numa altura em que o jornalista Roman Protasevish continua detido.

A lista de sancionados ligados ao regime de alexander Lukashenko volta a aumentar. Os chefes da diplomacia europeia acrescentaram 78 novos nomes, incluindo juízes ligados a acórdãos com motivações políticas contra jornalistas e a manifestante e ainda os ministros dos Transportes e Defesa por causa do desvio do avião da Ryanair.

"Para nós, os europeus, o regime da Bielorrússia, em particular o Presidente Lukashenko está isolado do ponto de vista internacional, cada vez mais longe da União Europeia, cada vez mais próximo ou dependente da federação russa", disse o ministro português, Augusto Santos Silva.

A decisão junta-se à proibição que já existe e que impede as transportadoras bielorrussas de sobrevoarem o espaço europeu.

Os 27 terão agora de decidir se permitem que Lukashenko participe na próxima Cimeira da Parceria Oriental.

"A nossa posição de partida é que a Bielorrússia não pode estar representada na Cimeira da Parceria Oriental por um presidente cuja legitimidade nós não reconhecemos", afirmou o chefe da diplomacia portuguesa.