Mundo

Cônsul estónio na Rússia detido e acusado de receber "documentos confidenciais"

Canva

"Tal gesto é incompatível com o estatuto de funcionário diplomático e tem um caráter claramente hostil para com a Rússia".

O cônsul da Estónia em São Petersburgo, na Rússia, foi detido por ter obtido "documentos confidenciais", anunciaram esta terça-feira os serviços de segurança russos (FSB), num contexto de aumento dos casos de espionagem entre Moscovo e o Ocidente.

"O FSB deteve em flagrante delito o diplomata estónio e cônsul em São Petersburgo, Mart Lätte, quando ele estava a receber documentos confidenciais da parte de um cidadão russo", indicaram os serviços de segurança, citados pelas agências noticiosas russas.

"Tal gesto é incompatível com o estatuto de funcionário diplomático e tem um caráter claramente hostil para com a Rússia. Serão tomadas medidas em relação ao diplomata estrangeiro, em conformidade com as normas do Direito Internacional", prosseguiu o FSB.

Espionagem entre Moscovo e o Ocidente

Os casos de espionagem entre Moscovo e o Ocidente têm-se multiplicado nos últimos anos, na medida do aumento contínuo das tensões desde a crise ucraniana e a anexação da Crimeia, em 2014.

Em abril, o cônsul da Ucrânia em São Petersburgo, Alexandre Sossoniuk, foi detido pelo FSB por ter tentado obter informações secretas e foi instado a abandonar o território russo.

Por sua vez, a Rússia foi acusada de múltiplos casos de espionagem em vários países europeus, que conduziram sempre à expulsão mútua de diplomatas.

As tensões estão particularmente fortes, na Europa, entre a Rússia e a República Checa, que acusa Moscovo de estar na origem de explosões com vítimas mortais, que destruíram um paiol de munições no seu território, em 2014.