Mundo

Trump Organization demite diretor financeiro acusado de crimes fiscais

Brendan McDermid

Allen Weisselberg é acusado de roubo, fraude, conspiração e falsificação de documentos.

A Trump Organization demitiu Allen Weisselberg, diretor financeiro de várias empresas suas subsidiárias, depois de ter sido oficialmente acusado de vários crimes fiscais, segundo o The Wall Street Journal.

Roubo, fraude, conspiração e falsificação de documentos são alguns dos crimes de que Weisselberg é acusado, com o alegado objetivo de fugir aos impostos durante 15 anos.

Segundo fontes citadas pelo jornal, a decisão de demitir o diretor financeiro não significa a sua saída do grupo do ex-presidente norte-americano, Donald Trump, e Weisselberg deverá manter-se na Trump Organization, onde está desde 1973.

A empresa Trump Payroll - na qual Weisselberg foi tesoureiro, diretor, vice-presidente e secretário nos registos oficiais do estado da Florida - passou para as mãos do filho mais velho de Donald Trump (Donald Trump Júnior), na semana passada.

Também na semana passada, Weisselberg deixou o cargo de diretor do clube de golfe Trump na Escócia, no Reino Unido, de acordo com o mesmo jornal.

Tanto a Trump Organization (TO) como Weisselberg declararam-se inocentes da acusação apresentada contra eles pelos procuradores de Nova Iorque no passado dia 1 de julho.

Weisselberg e representantes da TO compareceram num tribunal de Manhattan um dia após terem sido indiciados no âmbito de uma investigação aos negócios de Trump.

Aos 73 anos, Weisselberg apareceu algemado perante o juiz e o Ministério Público, que acusa a TO de, entre 2005 e 2021, ter montado um esquema com o qual pagava a Weisselberg e a outros executivos "por baixo da mesa", sem que essas verbas fossem taxadas.

No final da audiência, Weisselberg foi libertado, mas teve de entregar o passaporte para evitar uma possível fuga do país.

Veja mais: