Mundo

Tempestade na Europa provoca um morto e um desaparecido na Alemanha

SASCHA STEINBACH

Bombeiros resgatam várias pessoas desaparecidas devido a inundações.

Um bombeiro afogou-se esta quarta-feira durante um salvamento e um outro homem está desaparecido na Alemanha, depois de ter sido arrastado pela água na sequência das tempestades que causaram inundações em partes da Europa ocidental e central.

O bombeiro morreu na cidade alemã de Altena, disse a polícia à agência noticiosa alemã DPA.

Na cidade de Joehstadt, no estado alemão da Saxónia, os bombeiros procuram um homem que desapareceu arrastado pela corrente de um ribeiro, após a subida repentina das águas, quando tentava proteger a sua propriedade.

Os bombeiros em Hagen, perto de Altena, resgataram vários condutores de veículos que ficaram presos numa passagem inferior inundada. Vídeos nos meios de comunicação social mostraram ruas da cidade inundadas e outras soterradas por deslizamentos de terras.

Uma árvore caída encurralou uma mulher na cidade alemã de Mettmann e os bombeiros tiveram de lhe segurar a cabeça, para impedir que se afogasse nas águas das cheias, até que a conseguissem libertar.

Os residentes da vizinha Erkrath foram avisados para não tomar banho ou usar os lavatórios porque a chuva tinha sobrecarregado o sistema de esgotos local. Em Duesseldorf, as autoridades municipais apelaram para que os residentes de Grafenberg deixassem os seus apartamentos, devido a uma potencial inundação.

O porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, descreveu as imagens das regiões mais atingidas pelas inundações como "terríveis".

"Embora nem todos os eventos, nem todas as inundações ou incidentes locais estejam relacionados com as alterações climáticas, muitos cientistas dizem-nos que a frequência, a intensidade e a regularidade com que isto acontece é uma consequência das alterações climáticas", disse Seibert.

Os meteorologistas do DWD preveem uma diminuição da precipitação na Alemanha ocidental para quinta-feira, mas mais no sudoeste e sul do país, embora não com a intensidade desta quarta-feira.

Situação na República Checa, Bélgica, Paixes Baixos e Suíça

Na vizinha República Checa, os bombeiros receberam 800 chamadas sobre incidentes que vão desde árvores caídas a caves inundadas. Uma autoestrada que liga a capital, Praga, ao leste do país, foi parcialmente inundada durante a noite. Milhares de famílias ficaram esta quarta-feira sem eletricidade.

Em algumas cidades da Bélgica a lama inundou casas em algumas cidades do leste. No centro turístico de Spa a água inundou as ruas e provocou danos em carros e caves, mas não há registo de feridos graves.

As autoridades dos Países Baixos advertiram que as fortes chuvas na província meridional do Limburgo poderiam transformar os cursos de água em torrentes perigosamente rápidas. Os proprietários de embarcações foram aconselhados a afastarem-se do rio Maas devido às fortes correntes e aos detritos.

Na Suíça, as autoridades elevaram o aviso de cheias para o Lago Lucerna para o nível mais alto e proibiram todos os transportes marítimos.

O serviço meteorológico nacional francês emitiu avisos para cinco regiões na zona nordeste do país. Grande parte da França tem assistido a um verão invulgarmente fresco e húmido, enquanto partes do sudeste da Europa têm vindo a suportar uma vaga de calor.