Mundo

SpaceX lança formigas, abacates e um robô para o espaço

NASA/Kim Shiflett

Missão de reabastecimento para a Estação Espacial Internacional.

Uma remessa de formigas, abacates e um braço robótico de tamanho humano foi hoje enviado para a Estação Espacial Internacional a bordo de um foguetão da SpaceX, na 23ª missão de carga da empresa privada.

Mas há mais do que ciência na nave espacial. Os astronautas da Estação Espacial vão ainda receber alimentos frescos, incluindo limões, cebolas, tomates, abacates e - um favorito de sempre - gelados.

A mercadoria deverá ser entregue amanhã, segunda-feira.

Um foguetão Falcon reciclado partiu antes do amanhecer do Kennedy Space Center da NASA. Depois de lançar a cápsula Dragon, o foguetão pousou de pé na mais recente plataforma oceânica da SpaceX, chamada "A Shortfall of Gravitas". O fundador da SpaceX, Elon Musk, continuou a sua tradição de nomear estas plataformas em homenagem ao falecido escritor de ficção científica Iain Banks.

Dezenas de experiências a caminho do espaço

A cápsula Dragon transporta mais de 2.170 kg de materiais, experiências e alimentos frescos. Algumas das experiências científicas tiveram de ficar para trás devido aos adiamentos do lançamento provocados pela pandemia.

Amostras da experiência Biofilms que vão este fim de semana para a Estação Espacial na missão de reabastecimento de carga SpaceX CR23. O biofilme é o que torna os micróbios resistentes a antibióticos e desinfetantes. Se o deixarmos crescer, o biofilme pode ser difícil de limpar e pode corroer superfícies, especialmente metais. A experiência testará as propriedades antimicrobianas de superfícies como aço, cobre e latão em condições de microgravidade, como os micróbios crescem (ou não) nessas superfícies. As descobertas irão ajudar a prevenir a contaminação microbiana no espaço.

Amostras da experiência Biofilms que vão este fim de semana para a Estação Espacial na missão de reabastecimento de carga SpaceX CR23. O biofilme é o que torna os micróbios resistentes a antibióticos e desinfetantes. Se o deixarmos crescer, o biofilme pode ser difícil de limpar e pode corroer superfícies, especialmente metais. A experiência testará as propriedades antimicrobianas de superfícies como aço, cobre e latão em condições de microgravidade, como os micróbios crescem (ou não) nessas superfícies. As descobertas irão ajudar a prevenir a contaminação microbiana no espaço.

DLR

Entre as várias experiências está a do grupo de escuteiras Girl Scouts que enviam formigas e plantas como cobaias, enquanto os cientistas da University of Wisconsin-Madison enviam sementes de agrião, uma pequena erva daninha usada em pesquisas genéticas. Amostras de cimento, células solares e outros materiais também serão submetidas à ausência de gravidade.

O braço robótico experimental de uma empresa japonesa tentará aparafusar coisas e fará outras tarefas mundanas normalmente feitas por astronautas. Os primeiros testes serão feitos dentro da Estação.

A experiência Faraday-Girl Scouts oferece a escoteiras a oportunidade de conduzir reais investigações sobre o crescimento da planta, colonização de formigas e ciclo de vida do camarão de salmoura em caixas de Faraday a bordo da Estação Espacial Internacional.

A experiência Faraday-Girl Scouts oferece a escoteiras a oportunidade de conduzir reais investigações sobre o crescimento da planta, colonização de formigas e ciclo de vida do camarão de salmoura em caixas de Faraday a bordo da Estação Espacial Internacional.

NASA