Mundo

Polícia norte-americana procura jovem que desapareceu durante viagem com o noivo 

O vídeo fornecido pelo Departamento de Polícia de Moab mostra Gabby Petito, perto da entrada do Parque Nacional Arches em agosto.

Jovem norte-americana desapareceu durante uma viagem com o noivo, que agora regressou a casa e recusa falar com as autoridades.

As autoridades norte-americanas estão em busca de informações que possam a ajudar a encontrar uma jovem do estado da Flórida, que desapareceu durante uma viagem pelos Estados Unidos da América com o noivo.

Gabby Petito, de 22 anos, falou pela última vez com a família no fim de agosto, quando o casal estava de visita ao Parque Nacional de Grand Teton, no Wyoming.

A jovem norte-americana foi dada como desaparecida no fim de semana e, esta quinta-feira, o pai deixou um apelo público.

"Tudo o que vocês puderem fazer para garantir que a minha filha volte para casa... estou a pedir essa ajuda. Nada mais importa neste momento. Encontrar esta menina aqui", disse Joe Petito, apontando para a fotografia da jovem. "Isto é o que importa. Tudo o resto... é secundário", afirmou numa conferência de imprensa conjunta com a polícia de North Port, citada pela CNN.

Gabby Petito estava a viajar com o noivo, Brian Laundrie, desde o início de julho e a maior parte da viagem era documentada nas redes sociais até ao momento em que deixou de haver atualizações.

O vídeo fornecido pelo Departamento de Polícia de Moab mostra Brian Laundrie, perto da entrada do Parque Nacional Arches em agosto.

O vídeo fornecido pelo Departamento de Polícia de Moab mostra Brian Laundrie, perto da entrada do Parque Nacional Arches em agosto.

Brian Laundrie regressou à casa do casal a 1 de setembro - 10 dias antes da família da jovem a dar como desaparecida -, contratou um advogado e, juntamente com a família, recusou-se a falar com os investigadores.

A carrinha onde o casal seguia viagem regressou com o namorado e foi apreendida pelas autoridades, para ser analisada.

De acordo com a CNN, a família Petito apelou, separadamente, a Brian Laundrie e à sua família por informações que possam levar as autoridades a encontrar a jovem.

"Não conseguimos dormir ou comer e as nossas vidas estão a desmoronar", disseram os pais. "Acreditamos que sabem onde é que o Brian deixou a Gabby. Digam-nos, como pais, como podem deixar-nos passar por esta dor e recusar ajudar? Como pais, como é que podem colocar os irmãos mais novos da Gabby nesta situação?"

Família Laundrie "sem mais comentários"

O vídeo fornecido pelo Departamento de Polícia de Moab mostra Brian Laundrie, perto da entrada do Parque Nacional Arches em agosto.

O vídeo fornecido pelo Departamento de Polícia de Moab mostra Brian Laundrie, perto da entrada do Parque Nacional Arches em agosto.

Segundo um comunicado divulgado pelo advogado, a família Laundrie "não fará mais comentários".

O advogado Steven Bertolino reconhece que as buscas estão a ser feitas no Parque Nacional de Grand Teton e afirma que Brian está "a exercer os seus direitos constitucionais": "E eu tenho de os respeitar". Adiantou ainda que o objetivo da investigação, neste momento, não é deter o noivo da jovem.

Casal teve uma discussão no Utah

A 12 de de agosto, o casal foi encontrado a ter uma discussão pela polícia de Moab, no Utah, que divulgou o vídeo do encontro.

O vídeo fornecido pelo Departamento de Polícia de Moab mostra Gabby Petito a conversar com um polícia, perto da entrada do Parque Nacional Arches em agosto.

O vídeo fornecido pelo Departamento de Polícia de Moab mostra Gabby Petito a conversar com um polícia, perto da entrada do Parque Nacional Arches em agosto.

De acordo com as autoridades, na altura o casal estava com uma testemunha, que assistiu a confrontos físicos após a discussão.

"Mas tanto um como o outro disseram que estavam apaixonados e prestes a casar e que não queriam que nenhum deles fosse acusado de um crime", escreveu o polícia Daniel Robbins no relatório.

Por sugestão dos polícias que estavam no local, o casal separou-se durante a noite, mas Gabby estava "confusa e emocional".

"Depois de avaliar as circunstâncias, não acredito que a situação escalasse para o nível de violência doméstica ou de uma crise de saúde mental", disse Daniel Robbins.