Mundo

"Não nos podem obrigar a seguir o caminho escolhido pela China"

Presidente de Taiwan prometeu defender a Ilha apesar das pressões da China.

A Presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, apelou este domingo ao reforço das defesas da ilha para mostrar que "ninguém pode forçar Taiwan a seguir o caminho que a China escolheu" para um território cuja soberania é reivindicada por Pequim.

No seu discurso no Dia da República Nacional da China, o nome oficial de Taiwan, a líder da ilha acrescentou que Pequim "não oferece nem um modo de vida livre e democrático para Taiwan nem soberania para os seus 23 milhões de habitantes" na visão das autoridades chinesas para aquilo a que chamam "reunificação".

A mensagem de Tsai chega apenas um dia depois do Presidente chinês, Xi Jinping, ter assegurado que a China "pode e irá conseguir" a reunificação com Taiwan, desta vez deixando de lado a ameaça de o fazer pela força.

Por outro lado, o líder chinês falou do "princípio básico da 'reunificação pacífica'" - e oferecendo a integração na República Popular sob 'um país, dois sistemas' que é aplicado em Macau ou Hong Kong e que garante um certo grau de autonomia.

Esta oferta parece permanecer pouco atrativa para as autoridades de Taiwan, com o Tsai a apontar precisamente o controlo cada vez mais evidente de Pequim sobre Hong Kong em resposta aos protestos de 2019 e às últimas mudanças políticas.