Mundo

Ucrânia: EUA solicitam reunião do Conselho de Segurança da ONU

28.01.2022 00:46

Encontro acontecerá “após semanas de consultas estreitas com a Ucrânia e parceiros do Conselho de Segurança”.

Os Estados Unidos anunciaram na quinta-feira que solicitaram uma reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a Ucrânia, naquela que será a primeira vez que o órgão discutirá oficialmente a crise daquele país do leste europeu.

“Não é hora de esperar para ver. A atenção total do Conselho agora é necessária e esperamos uma discussão direta e útil na segunda-feira”, disse a representante dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, citada em comunicado.

De acordo com a diplomata, o encontro acontecerá “após semanas de consultas estreitas com a Ucrânia e parceiros do Conselho de Segurança” e servirá para discutir o “comportamento ameaçador da Rússia”.

EUA e aliados irão responder “resolutamente” no caso de invasão russa

Na quinta-feira, Joe Biden repetiu ao seu homónimo ucraniano, Volodymyr Zelensky, que os Estados Unidos e os seus aliados iriam responder “resolutamente” no caso de uma invasão russa, e falou num aumento da assistência económica, de acordo com um comunicado.

O Presidente dos Estados Unidos está “a considerar ajuda económica adicional” para a Ucrânia, disse a Casa Branca.

Os Estados Unidos disseram que estão a preparar sanções económicas severas no caso de um ataque à Ucrânia, estando dispostos a fortalecer a sua presença militar na Europa Oriental, se necessário.

Mas uma intervenção militar norte-americano na Ucrânia, que não é membro da NATO, está fora de questão.

Washington repatria famílias dos funcionários diplomáticos

Joe Biden também assegurou ao seu homólogo, durante uma conversa telefónica, que a embaixada americana no seu país continua “aberta e totalmente operacional”, embora Washington tenha decidido repatriar as famílias dos seus funcionários diplomáticos.

A Ucrânia criticou a decisão, considerando-a desproporcionada.

Os dois líderes também repetiram o princípio de que não haveria “decisão sobre a Ucrânia sem a Ucrânia”.

A Casa Branca disse anteriormente que era o terceiro encontro entre os dois homens desde dezembro.

O Presidente norte-americano também manifestou o seu apoio às discussões realizadas no chamado formato diplomático da “Normandia”, ou seja, entre Rússia e Ucrânia, sob a mediação da França e da Alemanha.

O próximo ciclo desses encontros está programado para a segunda semana de fevereiro em Berlim.

Últimas Notícias