Mundo

Incêndio no sul de França obriga à retirada de mais de 3.000 pessoas

Incêndio no sul de França obriga à retirada de mais de 3.000 pessoas
VALENTINE CHAPUIS
O fogo começou na segunda-feira, devido a uma máquina agrícola.

Mais de 3.000 pessoas, habitantes de aldeias no sul de França, em Aveyron, e turistas, tiveram esta terça-feira de ser retirados face à progressão de um incêndio que devastou pelo menos 700 hectares de vegetação, sem provocar feridos ou mortes.

O fogo começou no final do dia de segunda-feira em Massegros, na região de Lozère, devido a um trator. As chamas alastraram-se depois para Aveyron, dirigindo-se até à vila de Mostuéjouls, observou um correspondente da agência de notícias AFP.

Esta terça-feira, os bombeiros atearam "fogos táticos" para queimar de forma preventiva a vegetação para deter o avanço das chamas. As autoridades ordenaram a evacuação de toda a vila de Mostuéjouls, localizada no coração do Parque Nacional de Cévennes, perto da floresta consumida pelo fogo.

O parque faz parte das zonas montanhosas de Causses e Cévennes, classificadas como Património Mundial pela Unesco. As pessoas retiradas por precaução foram encaminhadas para câmaras municipais e escolas de municípios vizinhos.

O fogo começou por causa de uma máquina agrícola, após um elemento metálico ter raspado no alcatrão de uma estrada, provocando faíscas. Num contexto de seca, parte de uma estrada de Lozère incendiou-se, de acordo com os bombeiros. Segundo a autarquia local, mais de 600 bombeiros de vários departamentos apresentaram-se para combater o incêndio, com o apoio de meios aéreos.

No Drôme (sudeste), um incêndio florestal que deflagrou na passada sexta-feira à noite continua a progredir devastou 220 hectares e feriu três bombeiros. Outro, que se iniciou na noite de segunda-feira, destruiu 150 hectares de floresta no sul de Charente (oeste).

Em Isére (sudeste), um fogo foi controlado depois de atingir uma centena de hectares na cordilheira do Chartreuse, perto dos municípios de Voreppe e La Sure-en-Chartreuse.

Por fim, na Gironde (sudoeste), pelo menos 320 hectares de pinheiros foram destruídos, levando a retirada de várias centenas de habitantes de Hostens.

Com mais de 47.000 hectares queimados desde o início do ano, a França registou um número recorde de áreas queimadas em julho, segundo o Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS), cuja base de dados vai até 2006.

Últimas Notícias
Mais Vistos