Mundo

Bolsonaro estará presente na chegada do coração de D.Pedro a Brasília

Bolsonaro estará presente na chegada do coração de D.Pedro a Brasília
ESTELA SILVA
Celebrações acontecem no Palácio do Planalto, em Brasília, como parte das celebrações do bicentenário da independência brasileira.

O Presidente Jair Bolsonaro participa esta terça-feira numa cerimónia solene da chegada do coração de D. Pedro IV (D. Pedro I, no Brasil) no Palácio do Planalto, em Brasília, como parte das celebrações do bicentenário da independência brasileira.

Segundo informações divulgadas pelos 'media' locais, Bolsonaro esperará os restos mortais do antigo monarca na rampa do Palácio do Planalto, em cerimónia semelhante à visita de um chefe de Estado. Depois da cerimónia, o coração segue novamente para o Palácio de Itamaraty, sede do Ministério da Relações Exteriores do Brasil, onde foi guardado após aterrar no país sul-americano na manhã de segunda-feira.

Ao regressarem ao Itamaraty, os restos mortais do antigo monarca serão apresentados ao corpo diplomático e ficarão em exibição "controlada" até às comemorações do bicentenário da independência brasileira, em sete de setembro. As diferentes cerimónias serão acompanhadas pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, que na quinta-feira de manhã também presidirá, no Instituto Rio Branco, a uma palestra intitulada: "Dois povos unidos por um coração - o significado político e simbólico de D. Pedro para Portugal e o Brasil.

"Apesar de o autarca do Porto regressar a Portugal, o coração de D. Pedro continuará a ser acompanhado pelo comandante da Polícia Municipal do Porto, António Leitão da Silva. O coração de D. Pedro regressa à cidade do Porto em nove de setembro, ficando novamente em exposição nos dias 10 e 11, antes de voltar a ser guardado a cinco chaves.

Antes de viajar temporariamente para o país sul-americano, que se tornou independente de Portugal em 1822, sob a liderança de Dom Pedro que se tornou o primeiro imperador do Brasil, o coração do "rei soldado", que chegou ao Porto em fevereiro de 1835 e que raras vezes saiu do mausoléu da capela-mor da igreja da Lapa, esteve durante o fim de semana em exposição aberta ao público.

Para o retirar do pequeno caixão de mogno guardado no mausoléu são precisas cinco chaves, mil cuidados e uma complexa operação. Conservado em formol dentro de um recipiente de vidro e, este, dentro de um escrínio de prata dourada, o coração D. Pedro I do Brasil e IV de Portugal encantou, nos dois dias, 6.294 miúdos e graúdos, portuenses e estrangeiros (3.426 visitantes no sábado e 2.868 no domingo).

Últimas Notícias
Mais Vistos