Mundo

Eleições em Angola: Chega diz que foi desperdiçada "oportunidade para mudança"

Eleições em Angola: Chega diz que foi desperdiçada "oportunidade para mudança"
CARLOS COSTA
A Comissão Nacional de Eleições de Angola proclamou João Lourenço, líder do MPLA, como vencedor das eleições.

O Chega lamentou esta segunda-feira que os angolanos tenham desperdiçado "uma importante oportunidade para a mudança" face "ao poder absoluto e pouco democrático" do MPLA com as eleições gerais em Angola.

"Esta era uma importante oportunidade para a mudança acontecer em Angola, após décadas de exercício de poder absoluto e pouco democrático pelo MPLA, com resultados devastadores em termos de pobreza da população, corrupção das instituições e desaceleração nos índices de desenvolvimento humano daquele país", refere a direção nacional do Chega.

Em comunicado divulgado, o partido liderado por André Ventura lamenta que "essa oportunidade pareça ter sido, para já, desperdiçada".

De acordo com os resultados definitivos divulgados esta segunda-feira pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) de Angola, o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) venceu com 51% as eleições gerais que se realizaram há cerca de uma semana, enquanto a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) obteve 44%.

O Chega indica igualmente que "respeita, evidentemente, os resultados eleitorais" mas considera que existem "dúvidas legítimas e sustentáveis, pela informação que tem vindo a público e que nos tem chegado através de vários interlocutores, da fiabilidade do respetivo processo eleitoral, apesar dos vários observadores internacionais presentes".

No comunicado, o partido de extrema-direita lamenta ainda a presença do chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa no funeral do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos, "pelo simbolismo e pela mensagem política que passa, legitimando e branqueando os crimes do mesmo contra o povo angolano e contra os portugueses".

Segundo os resultados finais apresentados na sede da CNE pelo presidente do órgão, Manuel Pereira da Silva, votaram na eleições da última quarta-feira 44,82% dos 14,4 milhões de eleitores, com 1,67% de votos brancos e 1,15% de votos nulos.

O MPLA arrecadou 3.209.429 de votos, ou seja 51,17%, elegendo 124 deputados, e a UNITA conquistou 2.756.786 votos, garantindo 90 deputados, com 43,95% do total.

O plenário da CNE proclamou João Lourenço -- cabeça de lista do MPLA -- como Presidente da República de Angola e Esperança da Costa -- a número dois -- como vice-presidente.

Últimas Notícias
Mais Vistos