Mundo

Ministra espanhola justifica urgência de lei “trans” com discursos de ódio

Ministra espanhola justifica urgência de lei “trans” com discursos de ódio
SOPA Images
“Em tempos de crise”, os direitos das mulheres e da comunidade LGTBI+ “são os primeiros a ser postos em causa”, considera Montero.

A ministra espanhola da Igualdade, Irene Montero, justificou este sábado a urgência no projeto de lei trans e da reforma da lei do aborto com o que considerou a proliferação de “discursos de ódio, delitos de ódio” e “LGTBIfobia”.

Este tipo de questões faz com seja “o momento mais necessário” para avançar com as duas leis, como sustentou em declarações à comunicação social, durante uma visita ao município de Alcorcón, na zona de Madrid, em Espanha.

“Em tempos de crise”, os direitos das mulheres e da comunidade LGTBI+ “são os primeiros a ser postos em causa”, pelo que o governo deve atender à “necessidade” de estar “ao lado das mulheres” e da comunidade, considerou a ministra espanhola, segundo a agência EFE.

A mesa do Congresso de Deputados acedeu, na quinta-feira, ao pedido do Governo espanhol da dar urgência ao projeto de lei ‘trans’ e da reforma da lei do aborto, as duas últimas iniciativas legislativas enviadas àquela câmara pelo Ministério da Igualdade.

A ministra reafirmou hoje que o executivo espanhol é um governo “feminista”, que sabe que “não há democracia nem igualdade se, mais de metade da população” não tiver os direitos garantidos.

Irene Monteiro afirmou ainda que o Governo trabalhará com “urgência e determinação” para “proteger os direitos das mulheres”.

Últimas Notícias
Mais Vistos