Mundo

Desabamento de prédio em Aleppo faz pelo menos 13 mortos

Desabamento de prédio em Aleppo, Síria.
Desabamento de prédio em Aleppo, Síria.
AP

O número de vítimas mortais é avançado pelo Ministério do Interior. Dezenas de pessoas estão ainda desaparecidas sob os escombros do edifício.

O desabamento de um prédio na província de Aleppo, no norte da Síria, provocou pelo menos 13 mortos, encontrando-se ainda dezenas desaparecidas sob os escombros do edifício, disse o Ministério do Interior.

A agência de notícias oficial curda Anha avançou um número provisório de 12 mortos, entre os quais cinco crianças, mas o Ministério não mencionou, para já, nenhuma criança morta.

O primeiro número de vítimas, dez, foi apontado por diversas fontes sírias, entre as quais o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que relatou o desabamento de um prédio de cinco andares, no bairro de Sheikh Masoud, uma área controlada pelas forças curdas sírias.

"Às 03:00 da manhã (00:00 em Lisboa), um prédio residencial de cinco andares desabou no distrito de Sheikh Masoud. Treze corpos e uma pessoa viva foram removidos dos escombros de acordo com um relatório provisório", disse o ministério em comunicado.

As equipas de resgate, forças de defesa civil e bombeiros continuam as operações de busca de outras pessoas que ainda se encontram desaparecidas no bairro Sheikh Masoud.

O colapso, que ocorreu enquanto os moradores dormiam, foi causado "pela infiltração de água nas fundações", disse a agência oficial síria Sana.

Sete famílias foram alojadas na estrutura de cinco andares de acordo com o Ministério do Interior, cerca de 35 pessoas de acordo com os moradores.

O desabamento de prédios residenciais é bastante comum em Aleppo, seja por construções ilegais sem alicerces sólidos ou rachas em estruturas causadas pelos intensos combates nesta cidade do norte do país entre soldados e rebeldes no auge da crise.

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede no Reino Unido, mas que tem uma extensa rede de fontes na Síria, as vítimas eram pessoas da cidade de Afrin, deslocadas pela guerra.

O bairro Sheikh Masoud é habitado principalmente por curdos sírios, incluindo combatentes, muitos dos quais fugiram de Afrin depois de a vizinha Turquia ter lançado uma ofensiva em 2018.

A cidade de Aleppo está sob controle do Governo depois de ter sido recapturada pelos rebeldes ao custo de combates sangrentos, mas os negócios e a segurança no distrito de Sheikh Masoud são garantidos pelas forças curdas.

Quase meio milhão de pessoas foram mortas no conflito na Síria desde que eclodiu em 2011, e cerca de metade da população pré-guerra foi deslocada.

Um grande número de pessoas deslocadas teve que se mudar para edifícios em más condições.

Em setembro passado, o colapso de um prédio no distrito de Ferdaous, em Aleppo, matou 10 pessoas, incluindo três crianças.

Últimas Notícias
Mais Vistos