Opinião

"Há muito que deviam ter tratado deste governador"

Manuela Moura Guedes olha para a polémica dos créditos "estranhos e ruinosos" da Caixa Geral de Depósitos, com foco no trabalho do Banco de Portugal. Carlos Costa, que foi administrador do banco público, é agora Governador do Banco Central. A supervisão não funcionou no passado e agora fica marcada pela "escusa" de Carlos Costa e por outra possíveis incompatibilidades. No espaço habitual no Jornal da Noite, a Procuradora analisou ainda os números da violência doméstica, a greve dos enfermeiros e a falta de medicamentos nas farmácias.

As incompatibilidades dão à costa no Banco de Portugal

Dormir com o assassino

Em Portugal, só este ano, já foram assassinadas 10 mulheres. Crimes públicos, marcados pela violência doméstica. Portugal é o quarto país da Europa, com mais homicídios conjugais. A estatística do Eurostat, com percentagem por cada mil habitantes, revela que 0,52 pessoas morreram às mãos de companheiro. Pior do que Portugal, estão Lituânia, Malta e Alemanha.

No comentário desta segunda-feira, Manuela Moura Guedes destaca ainda a incapacidade do Estado, ao longo dos anos, para mudar a dura estatística das mulheres assassinadas.

Entre 2004 e 2018, 503 mulheres foram assassinadas. De acordo com o documento do Observatório das Mulheres Assassinadas, da UMAR, 68% foram mortas por companheiros ou ex-companheiros.

"São serviços mínimos entre a vida e a morte"

A segunda greve cirúrgica abriu um novo foco de guerra entre os enfermeiros e o Govermo. E desta vez, o executivo socialista avançou com a requisição civil. Manuela Moura Guedes afirma que "é preciso delinear muito bem que serviços mínimos são estes. E a requisição civil parece-me que, neste momento, é adequada".

Mas, no comentário no Jornal da Noite, A Procuradora fez questão de afirmar que não entende "que na primeira fase o Governo tivesse achado tudo normal. E agora nada se tivesse alterado."

"A bola está do lado do Infarmed"

São número oficiais e que revelam a dificuldade que muitos portugueses encontram quando vão aviar uma receita médica nas farmácias. 64,1 milhões de embalagens de medicamentos não puderam ser dispensadas, em 2018, no momento em que as pessoas as tentaram adquirir nas farmácias. A Procuradora afirma que o Infarmed tem que aumentar as fiscalizações no setor: "A bola está do lado do Infarmed".