Análise

"Restrições no Natal vão depender do que os cidadãos fizerem" 

Luís Marques Mendes

Luís Marques Mendes

Domingo no Jornal da Noite

Comentador

Luís Marques Mendes analisa, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite de domingo, as eleições nos Estados Unidos da América, o Orçamento do Estado para 2021, a polémica do Tribunal de Contas, a oposição e a situação da pandemia do novo coronavírus em Portugal.

O comentador da SIC diz que o que tem sido "fatal" do ponto de vista político é que o "tema da pandemia voltou à campanha" nos Estados Unidos. Sobre Joe Biden, diz que o candidato tem sido inteligente:

"Mudou um bocado o discurso e tem sido inteligente. Está mais abrangente e menos abrasivo"

Luís Marques Mendes afirma que o Orçamento de Estado para 2021 será, sobretudo, um "orçamento de transição num ano de recuperação". Revela que não haverá empréstimo para o Novo Banco e que a nova prestação social custará ao Estado 450 milhões de euros.

"Há uma grande dificuldade dos partidos à Esquerda de votarem contra"

Quanto à troca de presidentes no Tribunal de Contas, diz que a "a não recondução é um erro".

"Se a lei permite a recondução, e se ele fez um bom mandato, o que deve acontecer? Deve ser reconduzido"

Onde para a oposição? "Do ponto de vista da Democracia, isto é uma entorse democrata, caso contrário quem beneficia são os extremos"

Luís Marques Mendes afirma que o Governo deverá implementar algumas restrições nos próximos dias, devido ao aumento dos casos diários de covid-19, e que as restrições no Natal vão "depender do que os cidadãos fizerem".