Análise

Donald Trump é "o pior Presidente dos últimos 90 anos"

Germano Almeida

Germano Almeida

Comentador SIC

Germano Almeida analisa o ambiente político que se vive na véspera da tomada de posse de Joe Biden.

Em véspera da tomada de posse de Joe Biden enquanto Presidente dos Estados Unidos, Germano Almeida, comentador da SIC, analisa a instabilidade política que se vive do outro lado do Atlântico.

“Vai ser uma tomada de posse incomparável. Já o era por causa da pandemia e agora também pela questão da tensão. Vais ser uma tomada de posse um pouco virtual, só com mil convidados, entre congressistas e pessoas próximas, sem o calor dos apoiantes”, explica o comentador.

Com a invasão do Capitólio ainda recente na memória, as autoridades reforçaram a segurança para o momento em que o novo Presidente faz o juramento, tendo até investigado um a um os elementos da Guarda Nacional, depois de terem sido identificados polícias e militares à civil na manifestação de 6 de janeiro.

“A guerra civil política ideológica que políticos, comentadores, analistas têm falados nos últimos anos e que era, vamos dizer, metafórica passou a ser real a 6 de janeiro. Porque morreram pessoas nesse ato absolutamente inominável incitado por um Presidente dos Estados Unidos”, sublinha o comentador.

Sobre Trump, que deixa o cargo sem participar no momento da passagem da tesmunho, Germano Almeida considera que foi “o pior presidente dos últimos 90 anos americanos, desde Herbert Hoover, que deixou a América na grande depressão”.

O comentador lembra ainda que o “negacionismo irresponsável da derrota eleitoral” e a “responsabilidade objetiva que teve na invasão do Capitólio” fizeram com que Donald Trump perdesse a possibilidade de ser candidato Republicano em 2024. Fizeram também com que ele abandonasse sozinho a Casa Branca: “Nem o seu vice-presidente, pela forma como ele o tratou, vai estar nesse momento de despedida”, afirma.

Biden irá enfrentar vários problemas neste mandato, para além da pandemia de covid-19, que já fez mais de 400 mil mortes no país. Também a divisão do país que, nestas eleições ficou perto de 50-50, será um desafio para o novo Presidente.

“Joe Biden que não é um político brilhante, sabemos. Não tem o carisma da Barack Obama, nunca o terá. Mas sendo um tipo normal, eventualmente, em tempos em que a política americana precisava de regressar a uma certa normalidade, baixar um pouco a temperatura, se calhar é o homem - e as suas circunstância - certo para esta altura”, afirma Germano Alemeida.

Joe Biden, o mais velho a assumir a Presidência dos Estados Unidos

A idade de Joe Biden é uma questão a ter em conta no mandato. O próximo Presidente dos Estados Unidos será o mais velho de sempre a assumir este cargo, o que levanta, desde logo, questões sobre a realização de um segundo mandato.

“Joe Biden não é só o mais velho Presidente a tomar posse, é mais do que isso. Será mais velho amanhã, na tomada de posse – 78 anos e dois meses –, do que a idade que tinha o anterior mais velho, Ronald Regan, no final do segundo mandato”, lembra Germano Almeida

Kamala Harris, a vice-presidente de Biden, entra aqui como uma possível candidata para 2024. Para além de ser a primeira mulher no cargo e a primeira a ter ascendência indiana e jamaicana, o comentador destaca a sua competência e qualificação enquanto senadora e procuradora-geral da Califórnia. “Será a favorita à nomeação presidencial democrata em 2024”, remata

  • 3:20