País

Passos Coelho esteve cinco anos sem pagar contribuições à Segurança Social

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho esteve cinco anos sem pagar contribuições à Segurança Social. Passos já pagou, de forma voluntária, a dívida, para pôr fim ao que chama de  "acusações infundadas" em ano eleitoral.

A dívida foi criada entre 1999 e 2004, altura em que começou a trabalhar por contra de outrem, no grupo Fomentinvest, mas ao mesmo tempo trabalhava a recibos verdes para algumas empresas, incluindo a Tecnoforma. (Arquivo)

A dívida foi criada entre 1999 e 2004, altura em que começou a trabalhar por contra de outrem, no grupo Fomentinvest, mas ao mesmo tempo trabalhava a recibos verdes para algumas empresas, incluindo a Tecnoforma. (Arquivo)

Thanassis Stavrakis / AP

A dívida foi criada entre 1999 e 2004, altura em que começou a trabalhar por contra de outrem, no grupo Fomentinvest, mas ao mesmo tempo trabalhava a recibos verdes para algumas empresas, incluindo a Tecnoforma. 

São esses os descontos, enquanto trabalhador independente, que faltavam pagar a Passos Coelho. Pelas contas do jornal Público, as contribuições em falta, mais os juros de mora, totalizam uma dívida de cerca de 7400 euros. 

Numa nota enviada às redações, o primeiro-ministro explica que nunca foi notificado pela Segurança Social e que só há três anos é que soube que a dívida prescreveu em 2009. 

Ainda assim, o líder do PSD garante que já pagou cerca de quatro mil euros, a quantia que lhe disseram que devia. 

Passos acrescenta que já tinha decidido pagar a dívida quando deixasse o cargo de primeiro-ministro, mas decidiu fazê-lo já, de forma voluntária, para pôr fim ao que chama de  "acusações infundadas" em ano eleitoral.