País

Tempestade Ana provocou mais de três mil ocorrências

Quedas de árvores e de estruturas, inundações e deslizamentos de terras. A Proteção Civil registou durante a madrugada de hoje, e até às 7:30, pelo menos 3.010 ocorrências relacionadas com o mau tempo.

De acordo com o comandante Paulo Santos, da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o mau tempo atingiu o país de Norte a Sul, mas afetou mais os distritos de Lisboa, Porto, Braga, Aveiro, Coimbra e Viseu.

"Esta tempestade que afetou pais de Norte a Sul provocou mais de 1.900 quedas de árvores, 34 movimento de massa (deslizamento de terras), 346 inundações, 551 quedas de estruturas e mais de 150 limpezas de via", disse o oficial de operações da ANPC, num ponto de situação até às 7:30 de hoje.

Carros danificados por queda de ramos de árvores em Lisboa

Quanto ao trânsito, a Proteção Civil não tem conhecimento de qualquer corte de circulação nos itinerários principais, estradas nacionais ou nas principais autoestradas, apenas informação relativa à interdição de acesso ao maciço central da Serra da Estrela.

No entanto, sublinhou o responsável, "é natural que os cidadãos, à medida que vão saindo de suas casas de manhã, venham a encontrar lençóis de água, detritos na via ou alguma árvore", daí que a ANPC aconselhe "o máximo de cuidados na condução".

Tempestade Ana já passou

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) tinha previsto que a partir das 3:00 a tempestade Ana começasse a perder intensidade e a dissipar-se. Hoje, o Instituto disse que a tempestade já deixou o território português, estando agora prevista uma descida das temperaturas, aguaceiros, diminuindo de frequência e intensidade, possibilidade de trovoada e granizo e queda de neve acima de 800 metros.

Mais de 9.300 operacionais da Proteção Civil, incluindo bombeiros, elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica de Portugal (INEM) e Guarda Nacional Republicana (GNR), estão destacados desde o início do dia de domingo por causa da passagem pelo continente da tempestade Ana.

No domingo, a tempestade causou uma vítima mortal, uma mulher de 45 anos, em Marco de Canavezes, devido à queda de uma árvore.

Com Lusa

  • Neve corta estradas do maciço central da Serra da Estrela
    3:08

    País

    Na Serra da Estrela, a estância de ski não abriu neste sábado como estava previsto mas viu neve pela primeira vez nesta época. O tempo não está tão frio como de costume, mas os acessos estão cortados em Piornos, Torre e Lagoa Comprida. Patricia Figueiredo dá-nos informação detalhada das condições meteorológicas na região.

  • Depois da tempestade Ana, vem aí o Bruno
    1:55

    País

    A primeira tempestade que atinge a Península Ibérica a ter um nome deixou um rasto de destruição com um morto, mais de 3.000 ocorrências, entre centenas de árvores e estruturas caídas, pelo menos seis voos cancelados e oito barras encerradas à navegação. A meteorologia diz que o pior já passou, mas agora vem o frio e uma nova tempestade que também já tem nome: vem aí o Bruno.

  • Tempestade Ana provocou estragos na Galiza

    Mundo

    A tempestade Ana está a causar também alguns estragos em Espanha, mais precisamente na zona da Galiza. O risco extremo associado ao mau tempo levou a agência estatal de meteorologia a ativar o nível máximo de alerta, em toda a região galega.