País

Jornal local alertou há 4 anos para o perigo da estrada que desabou em Borba

NUNO VEIGA

Para quem mora na zona onde esta segunda-feira duas pessoas morreram no desabamento de uma estrada, em Borba, esta tragédia não é uma surpresa absoluta. O perigo foi anunciado há quatro anos num artigo do Diário Campanário.

O artigo online revelou a 21 de novembro de 2014 que havia a possibilidade de a estrada ser extinta.

O administrador de uma das empresas extratoras de mármore assumiu que, apesar dos trabalhos de sustentação dos taludes, havia risco de fraturação das paredes da pedreira.

O Diário Campanário adiantou também que a Direção Regional da Economia equacionava, na altura, a hipótese de ser extinta a estrada.

Com conhecimento da situação, o presidente da Câmara de Borba, António Anselmo, disse no entanto que a autarquia só poderia limitar o trânsito e garantiu que estava avaliar o caso com "muita atenção e muita calma".

O artigo do jornal online referiu também a existência de um estudo do Laboratório Nacional de Engenheira e Geologia que confirmava a perigosidade da situação.

  • "Não houve a coragem de encerrar a estrada" em Borba
    3:08

    País

    O bastonário da Ordem dos Engenheiros diz-se chocado com "a proximidade da pedreira em relação à estrada" que ruiu esta segunda-feira em Borba. Em entrevista à SIC, Carlos Mineiro Aires lamenta que a estrada não tenha sido encerrada, uma vez que estava sinalizada há pelo menos quatro anos e o risco de aluimento de terras era elevado.

  • Dois mortos no desabamento de estrada em Borba
    2:55

    País

    O desabamento de uma estrada secundária que liga Borba a Vila Viçosa fez esta segunda-feira dois mortos e pelo menos quatro pessoas estão desaparecidas. Uma retroescavadora e dois veículos ligeiros terão sido arrastados para o poço de uma pedreira. A instabilidade do local levou à suspensão dos trabalhos de socorro.

  • As imagens do mau tempo no Porto
    1:24
  • As imagens das inundações em Braga
    1:05