País

Marcelo regista com apreço suspensão da greve dos enfermeiros

ESTELA SILVA

Os sindicatos recomendaram aos grevistas que trabalhem na sexta-feira, tendo em conta o feriado do Natal e as tolerâncias de ponto decretadas pelo Governo.

O Presidente da República disse hoje ter registado "com apreço" a recomendação dos sindicatos para que a greve dos enfermeiros seja suspensa na sexta-feira, num "gesto de solidariedade" na época de Natal.

"O que eu penso é que todos os portugueses sabem que o fim de semana de Natal e a época de Natal é uma época muito especial e, portanto, o facto de se ter isso em linha de conta significa um gesto de solidariedade que registo também com apreço", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O chefe de Estado recusou, contudo, comentar este "conflito de trabalho específico", sublinhando que, tendo em consideração o mesmo espírito de natal, não quer, neste momento, introduzir fatores de ruído.

Marcelo Rebelo de Sousa falava à margem do concerto solidário das Forças Armadas que decorreu esta segunda-feira, na Casa da Música, no Porto, e que angariou três mil euros para a Associação de Deficientes das Forças Armadas e a Associação dos Albergues Noturnos do Porto.

Esta segunda-feira, os sindicatos que convocaram a greve dos enfermeiros recomendaram aos grevistas que trabalhem na sexta-feira, tendo em conta o feriado do Natal e as tolerâncias de ponto decretadas pelo Governo.

A Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) e o Sindicato Democrático dos Enfermeiros (Sindepor) enviaram um ofício às administrações dos cinco hospitais, onde decorre a greve, a indicar ter sido recomendado aos grevistas que "compareçam ao serviço no horário em que estão escalados, no dia 21 de dezembro, para possibilitarem a abertura de todas as salas e tempos operatórios habituais".

No documento, a que a agência Lusa teve acesso, os sindicatos disseram pretender "salvaguardar que nenhum doente oncológico classificado nível 3 e 4, bem como os que se enquadrem nas situações de urgência diferida", fiquem privados "de tempo operatório que permita a resolução da sua situação de saúde".

Os sindicatos admitiram que "os constrangimentos" causados aos doentes "se estejam a agravar" e consideraram que esta recomendação para os profissionais se apresentarem ao serviço na sexta-feira é "um ato de boa fé", que demonstra "permanente preocupação com o respeito pelos melhores interesses dos doentes".

Lusa

  • Quem são os Hells Angels?
    2:52
  • O preconceito e os receios em torno das doenças mentais
    30:52
  • O caos nos registos
    18:55