País

Agente da PSP fica em prisão preventiva no caso do roubo de armas Glock

Luís Gaiba está indiciado pelos crimes de tráfico de armas agravado e de peculato.

Os sete arguidos do processo que investiga o roubo das 57 armas Glock da Direção Nacional da PSP. foram esta sexta-feira interrogados e as medidas de coação já são conhecidas.

Apenas o agente da PSP Luís Gaiba ficou em prisão preventiva. Está indiciado pelos crimes de tráfico de armas agravado e de peculato. O outro agente fica com termo de identidade e residência.

Quatro arguidos ficam obrigados a apresentações periódicas. Há ainda um outro arguido, também civil, sujeito a termo de identidade e residência, a medida menos gravosa.

  • António Costa desvaloriza sondagens favoráveis para o PS
    2:51