País

Governo e Área Metropolitana de Porto assinam acordo para passe único

O passe único custará no máximo 40 euros.

O Governo e a Área Metropolitana de Porto assinam hoje o contrato para a entrada em vigor, em abril, do passe único nos 17 concelhos da AMP, que custará no máximo 40 euros.

Na cerimónia de Assinatura de Contrato do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) entre o Estado e a Área Metropolitana do Porto que decorre pelas 12:00 na Estação de Metro de São Bento, está prevista a participação, pelo Governo, do primeiro-ministro e do ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Matos Fernandes.Pela área metropolitana, assinará os documentos o presidente da AMP, Eduardo Vítor Rodrigues.

A partir de 01 de abril, o novo passe Andante Metropolitano custa no máximo 40 euros mensais por utente e permite viajar em todos os operadores de transportes públicos na AMP.É também criado um passe municipal, válido para os 17 concelhos que integram a AMP, com o custo de 30 euros para viagens dentro do concelho ou até três zonas contíguas.

Os títulos podem ser adquirido e carregados como habitualmente nas lojas Andante, pontos de venda Andante e Bilheteiras CP, mantendo-se em vigor as taxas de desconto dos tarifários sociais existentes de 25%, 50% e 60%, agora aplicada sobre as novas tarifas.

O novo tarifário que é válido por um mês, prevê ainda a introdução de mais dois títulos, o passe sub12 cuja entrada em vigor foi adiada para 01 de setembro, por altura do início do novo ano letivo, e passe família sobre o qual, a AMP não se compromete com uma data.

O passe único é válido em todos os meios de transporte públicos na Área Metropolitana do Porto, desde que já integrados no Sistema Intermodal Andante, como STCP ou a CP nos percursos já integrados no Andante.Contudo, há ainda operadores onde a sua utilização não será possível por falta de validadores.

É o caso de alguns operadores privados, nomeadamente da Auto Viação Feirense que serve nove concelhos - Santa Maria da Feira, Arouca, Castelo de Paiva, Ovar, S. João da Madeira, Porto, Gaia, Espinho e Gondomar - do Grupo Transdev e dos Transportes Urbanos de Santo Tirso (TUST) no caso particular deste município que adiou para 01 de junho a entrada em vigor do passe único.

Com a exceção de Santo Tirso, a expectativa da AMP é que partir de 01 de maio o passe único possa ser implementado em todos os concelhos da área metropolitana.As áreas metropolitanas do Porto e Lisboa e as 21 Comunidades Intermunicipais (CIM) vão receber um total de 104 milhões de euros do Fundo Ambiental, através do Orçamento do Estado, para incentivarem o uso dos transportes coletivos, e comparticiparão o programa com um total de 2,6 milhões.

A Área Metropolitana do Porto, com 177,5 mil utilizadores, vai receber 15,4 milhões.O passe será válido nos 17 concelhos da AMP, integrada pelos municípios Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Paredes, Porto, Póvoa de Varzim, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, São João da Madeira, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia.

Na Área Metropolitana do Porto (AMP) há pelo menos 154 mil utilizadores do Andante que vão beneficiar da entrada em vigor do passe único a 01 de abril. De acordo com os dados dos Transportes Intermodais do Porto (TIP), são os títulos Z2 os que representam a maior fatia do total de assinaturas na rede Andante, 41%, o que corresponde a uma média de 63.140 utilizadores.

Lusa

  • Carro de Santana Lopes não tinha seguro?
    1:44