País

Garrafeira de Lisboa deixa de comercializar vinhos de Berardo

ANTÓNIO COTRIM

A BacoAlto anunciou a decisão no Facebook. “Não é preciso dizer mais nada”, pode ler-se na publicação

Trata-se de um boicote comercial. Juntando-se à indignação gerada pelas declarações recentes de Joe Berardo, a garrafeira e loja gourmet BacoAlto, em Lisboa, anunciou esta terça-feira que “não compra nem aconselha vinhos das empresas em que José Manuel Rodrigues Berardo é acionista”.

A decisão foi comunicada através do Facebook e assume, simultanemaente, a forma de apelo: “Se és INTELIGENTE não é preciso dizer mais nada, por isso a vossa atitude pode fazer a diferença”.

A publicação tem aplausos nos comentários e mostra como, passados cinco dias, os ecos da prestação de Joe Berardo na comissão parlamentar de inquérito à CGD continuam longe de serenar. Às críticas dos deputados, do Presidente da República e do primeiro-ministro, juntou-se a indignação nacional, expressa e (muito) partilhadas nas redes sociais, onde a maioria considera chocante as afirnações do empresário de que não tem dívidas e que as obras de arte expostas no Centro Cultural de Belém (CCB) eram da Associação Coleção Berardo.

A polémica atingiu as condecorações atribuídas ao empresário. Como noticiou o Expresso, o Conselho das Ordens Nacionais, presidido por Manuela Ferreira Leite, reúne-se esta sexta-feira à tarde para discutir a questão, apurou também o Expresso. Retirar ou não retirar, eis a questão.

  • Um minuto de campanha
    1:02