País

Detidos presidente do IPO do Porto, dois autarcas de Santo Tirso e de Barcelos e uma empresária

(Arquivo)

São suspeitos de corrupção, tráfico de influências e participação económica em negócio no âmbito de contratação pública.

Os presidentes das Câmaras Municipais de Santo Tirso e de Barcelos, bem como o presidente do Instituto Português de Oncologia do Porto e uma empresária foram detidos, esta manhã, pela Polícia Judiciária, no âmbito da operação Teia.

A empresária é Manuela Couto, mulher do socialista Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso.

É proprietária de uma empresa de organização de eventos e suspeita de ter beneficiado de ajustes diretos da autarquia.

No âmbito da operação Teia foram realizadas dez buscas domiciliárias e não domiciliárias em autarquias, entidades públicas e empresas, nas zonas do Porto, Santo Tirso, Barcelos e Matosinhos.

Os quatro detidos no âmbito da operação Teia vão ser ouvidos por um juiz de instrução criminal.

Envolveram dezenas de elementos da Polícia Judiciária, como investigadores, peritos informáticos, peritos financeiros e contabilísticos.

Quatro pessoas foram detidas. São suspeitas de corrupção, tráfico de influências e participação económica em negócio no âmbito de contratação pública.

De acordo com o comunicado da Polícia Judiciária, o esquema envolvia uma ação concertada de "autarcas e organismos públicos, de viciação de concursos e de ajuste direto com o objetivo de favorecer determinadas empresas “com vista à satisfação de interesses de natureza particular”.

Laranja Pontes, presidente do IPO do Porto

Laranja Pontes, presidente do IPO do Porto

Miguel Costa Gomes, autarca de Barcelos

Miguel Costa Gomes, autarca de Barcelos

Imagem CM Barcelos

Joaquim Couto, presidente da autarquia de Santo Tirso

Joaquim Couto, presidente da autarquia de Santo Tirso

Manuela Couto, CEO da W Global Communication e mulher do autarca de Santo Tirso

Manuela Couto, CEO da W Global Communication e mulher do autarca de Santo Tirso

Imagem WGC.PT

Operação Éter

Manuela Couto, a mulher do autarca de Santo Tirso, já tinha sido constituída arguida, o ano passado, no âmbito de uma investigação relacionada com o Turismo do Norte, com o nome de código Éter.

Em causa estão ajustes diretos que ultrapassaram os 5 milhões de euros.

Nesta operação foram detidas cinco pessoas: Melchior Moreira, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, Isabel Castro, diretora operacional do Turismo do Porto e Norte de Portugal, Gabriela Escobar, jurista daquela entidade, Manuela Couto, administradora da W Global Communication (antiga Mediana), e José Agostinho, da firma Tomi World, de Viseu.

  • André Rieu fez um vídeo para os fãs portugueses
    0:38