País

"Os jovens podem e devem liderar" o desafio da emergência climática

"Os jovens podem e devem liderar" o desafio da emergência climática

O secretário-geral da ONU assumiu hoje que a sua geração falhou numa resposta apropriada ao desafio das alterações climáticas e que compreende agora que os jovens podem e devem liderar esta luta.

António Guterres falava no encerramento da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude 2019, que terminou hoje em Lisboa, 21 anos depois de um evento semelhante e no qual participou e liderou como primeiro-ministro português.

"Nestes 21 anos percorremos todos um longo caminho", disse António Guterres, lembrando que em 1998 a Internet dava os primeiros passos e a ameaça existencial das alterações climáticas não era ainda totalmente compreendida.

Cerca de 100 delegações de responsáveis pela área da juventude de todo o mundo reuniram-se durante dois dias na Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude 2019, que regressou a Lisboa 21 anos depois de Portugal ter organizado a primeira edição do evento, em 1998.

Em debate estiveram temas emergentes da juventude, entre os quais o desenvolvimento sustentável e a crise climática e Portugal apresentou como condição que todas as comitivas fossem compostas por, pelo menos, um jovem.

O evento termina com a proclamação da declaração Lisboa+21 com palavras do secretário-geral da Nações Unidas que há 21 anos na qualidade de primeiro-ministro promoveu a I conferência.

A conferência tem sido dirigida pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, como titular da área da juventude.

Em 1998, o Governo Português, em cooperação com os parceiros do Sistema das Nações Unidas, organizou a Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, que se tornou um marco no trabalho em torno das políticas de Juventude.

Na Declaração final, ministros e demais líderes mundiais presentes, comprometeram-se a trabalhar com a Juventude num conjunto de políticas e programas que fossem ao encontro das preocupações dos jovens e melhorassem as suas vidas.

Estes compromissos cobriam as áreas prioritárias do setor, tal como definido no Programa Mundial de Ação para a Juventude, adotado em 1995 pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

Agora, os Estados são chamados a intensificar os seus compromissos para integrar a perspetiva da Juventude na implementação da Agenda 2030 e da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude 2019 e do Fórum da Juventude "Lisboa+21" resultará uma Declaração renovada sobre Políticas e Programas de Juventude (Lisboa+21), no quadro da Agenda 2030.

Com Lusa

  • O que houve de melhor no SBSR
    11:16
  • Descobrir as rotas do Alentejo
    14:59