País

Ordem diz que rotatividade do fecho da urgência de maternidades não resolve o problema

Ordem diz que rotatividade do fecho da urgência de maternidades não resolve o problema

Ordem dos Médicos reuniu-se esta terça-feira com os diretores do serviço dos hospitais do sul do país e todos dizem que situação é caótica.

A Ordem dos Médicos considera que a rotatividade do fecho da urgência de uma das maternidades de Lisboa não resolve o problema da falta de obstetras.

A ordem propõe como solução urgente a contratação de médicos, internos e externos aos hospitais, aos preços que pagam os privados.

Esta terça-feira, o Ministério da Saúde abriu um novo concurso de médicos para as chamadas zonas carenciadas, como o Algarve, Trás-os-Montes, Beira Alta e Beira Baixa. Ao todo, são 167 vagas, a maioria para especialistas hospitalares, e 50 para médicos de família.