País

Detido dono do prédio suspeito de mandar atear incêndio que matou uma pessoa no Porto

Um dos três detidos é o proprietário do prédio, de nacionalidade chinesa e detentor de um Visto Gold.

Três homens foram detidos pela Polícia Judiciária e estão “fortemente indiciados” da prática de crime de incêndio urbano agravado, homicídio e coação agravada.

Um dos detidos é o proprietário do prédio, de nacionalidade chinesa e detentor de um Visto Gold, gerente da imobiliária Alvorada Oasis, com sede em Gaia, confirmou a PJ à SIC. A pressa em revender o imóvel e a recusa dos moradores em abandonar a casa terá estado na origem do crime, executado pelos outros dois detidos, de nacionalidade portuguesa, que trabalhariam para o empresário.

Os dois fogos terão sido provocados pelos detidos numa das residências, com recurso a um produto acelerante de combustão, em duas datas distintas.

Na madrugada de 2 de março, os detidos terão provocado a ignição, em três pontos distintos das escadas, painéis e suportes em madeira de acesso ao terceiro andar, do prédio onde vivia uma octogenária com os seus filhos, vindo a provocar a morte de um deles.

Dias antes, os mesmos autores já teriam provocado uma ignição no mesmo prédio, contudo esta não teve desenvolvimento, por razões alheias à sua vontade, informa a PJ em comunicado.

Os detidos, com idades entre os 20 e os 40 anos, dois deles de nacionalidade portuguesa, estes com antecedentes criminais, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.

A cidade e o medo

Em abril, um mês depois do incêndio, a SIC falou com a família, que afirma ter sido ameaçada e ter feito tudo o que podia para evitar a tragédia. Na Grande Reportagem “A cidade e o medo”, revelamos o medo dos inquilinos mais velhos dos bairros históricos, disputados por investidores e sociedades imobiliárias.

  • Vem aí o calor...
    1:01