País

Valor médio das rendas de estudantes sobe em Lisboa e no Porto

Em Lisboa o custo médio das rendas aumentou para 399 euros e no Porto para 299 euros.

O valor médio de arrendamento para estudantes universitários aumentou em Lisboa, para 399,56 euros, e no Porto, para 299,16 euros, verificando-se subidas de 7,6% e de 5,6%, respetivamente, em comparação a 2018, revelou hoje a plataforma 'online' Uniplaces.


Segundo dados apurados até agosto, mês que antecipa o regresso às aulas, as zonas mais procuradas pelos estudantes universitários de Lisboa são Arroios, Alameda e Entrecampos, e na cidade do Porto destacam-se Paranhos, Cedofeita e Bonfim.

Como zona mais procurada na cidade de Lisboa, "por estudantes portugueses e de outras nacionalidades", Arroios registou um valor médio da renda de quarto privado em casa partilhada de 379,31 euros, o que representa um aumento de 6,8% face a 2018.

"Seguem-se Alameda e Entrecampos, com rendas médias de 416,1 e 422,9 euros, respetivamente", avançou a plataforma de arrendamento a universitários, indicando que as zonas de Lisboa menos procuradas são Alcântara, Sete Rios e São Sebastião, com uma renda média mais elevada no valor de 416,54 euros.

Na cidade do Porto, Paranhos foi a zona mais procurada pelos estudantes nacionais e internacionais, registando "uma renda média de 296,57 euros, valor que sofreu um aumento de 4% face ao ano anterior".

Depois de Paranhos, Cedofeita e Bonfim são as zonas onde a procura é mais elevada, com "uma renda média de 311 e 312 euros, respetivamente".

Na Invicta, a zona de Rio Tinto surge como a "mais cara para se estudar, com uma renda média de 338,94 euros", apurou a Uniplaces.

No âmbito de uma análise sobre as zonas mais procuradas pelos estudantes universitários, com dados até agosto, a plataforma concluiu que "Lisboa apresenta um valor médio de arrendamento de 399,56 euros, uma subida de 7,6% em relação a igual período de 2018, e a cidade do Porto um valor médio de 299,16 euros, tendo também verificado um aumento de 5,6% face ao período homólogo".

Destacando o crescimento do número de estudantes internacionais, a representante da Uniplaces em Portugal Carolina Almeida disse que é "muito importante a continuação da aposta no mercado de alojamento para estudantes, para que o leque de opções aumente e se torne mais diversificado para quem procura casa ou quarto para arrendar".

Criada por portugueses em 2012, a plataforma de alojamento universitário Uniplaces permite aos proprietários e senhorios a rentabilização dos imóveis junto do mercado de arrendamento universitário, que tem vindo a crescer nos últimos anos, em várias cidades universitárias da Europa.

Lusa