País

Presidente do Colégio de Obstetrícia diz que é muito raro as malformações não serem detetadas nas ecografias

Presidente do Colégio de Obstetrícia diz que é muito raro as malformações não serem detetadas nas ecografias

O Ministério Público abriu um inquérito ao caso do bebé com malformações graves, que nasceu em Setúbal.

O presidente do Colégio de Obstetrícia da Ordem dos Médicos diz que há vários fatores que contribuem para que malformações não sejam detetadas nas ecografias. No entanto, João Bernardes diz que são raras as vezes em que não são detetadas.


O obstetra que não detetou as malformações graves num bebé que acabou por nascer sem rosto no início deste mês, em Setúbal, tem quatro processos em curso no conselho disciplinar da Ordem dos Médicos.

O Ministério Público abriu um inquérito ao caso do bebé com malformações graves que não terão sido detetadas durante a gravidez.

  • Família separada pelo tribunal
    0:38
    Entregues à sorte

    Entregues à sorte

    Sandra Lima tinha seis anos e a irmã Albertina Silva tinha 16 quando o Tribunal da Horta ordenou a retirada das crianças aos pais biológicos. Os irmãos foram espalhados por várias instituições e Sandra acabou por ser adotada por norte-americanos aos 10 anos. Uma história para ver segunda-feira, no Jornal da Noite.

    Segunda-feira no Jornal da Noite

    Amélia Moura Ramos