País

Perto de 1.000 alunos de Macedo de Cavaleiros sem aulas

Greve convocada pelo STOP, Sindicato de Todos os Professores, pode fechar várias escolas no distrito de Bragança até 2.ª feira

O Agrupamento de Escolas de Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, informou que hoje "não há aulas" em várias escolas devido à greve convocada pelo Sindicato de Todos os Professores (STOP).

Num comunicado publicado nas redes sociais, o agrupamento informa "todos os pais e alunos que hoje, dia 20 de novembro de 2019, não haverá aulas por motivo de greve" e solicita que "durante os próximos dois dias os pais se mantenham atentos, não largando os filhos/educandos na escola, sem que se confirme o funcionamento".

Protesto deixa, assim, cerca de 1.000 alunos sem aulas

O agrupamento informa ainda que "no centro escolar as atividades decorrem normalmente para pré-escolar, 1.º e 2.º anos" e indica irá atualizando a informação.

A greve do STOP já se prolonga há mais de um mês e meio por todo o país contra o amianto, a violência, a falta de funcionários e professores.

A representante do sindicato e professora em Macedo de Cavaleiros, Fernanda Vicente, avançou que entre os principais problemas sentidos a nível local está a falta de assistentes operacionais.

Segundo a dirigente, faltam assistentes operacionais e os que estão ao serviço têm idade avançada e não conseguem dar resposta a todas as necessidades.

O amianto não é uma preocupação neste agrupamento com mais de mil alunos, segundo ainda a docente que aponta, contudo, a necessidade de obras nas instalações que há muito anos não são intervencionadas.

A greve nacional do STOP começou no início de outubro e tem vindo a ser prolongada, com a última convocatória até sexta-feira, 22 de novembro.

Pais e encarregados de educação mostram-se solidários com os protestos por melhores condições nas escolas de Bragança, mas alertam para os transtornos de quem não tem onde deixar as crianças.

Escolas de Macedo de Cavaleiros podem fechar até 2.ª feira