País

Juiz Rui Rangel demitido da magistratura

(Arquivo)

LUSA

O juiz é um dos 14 arguidos no processo Operação Lex por indícios de corrupção e tráfico de influências.

O juiz Rui Rangel foi esta terça-feira demitido da magistratura pelo Conselho Superior da Magistratura (CSM), devido ao seu envolvimento no processo criminal Operação Lex, revelou à agência Lusa fonte do CSM.

A decisão de expulsar o magistrado foi esta terça-feira tomada por maioria dos membros do plenário do Conselho Superior da Magistratura com um voto vencido.

Inicialmente, o envolvimento de Rui Rangel na operação Lex levou à sua suspensão provisória de funções no Tribunal da Relação de Lisboa (TRL), em 9 de novembro de 2018.

O juiz regressou à 9.ª secção criminal do TRL, após ter expirado o prazo da sua suspensão.

Esta terça-feira, o CSM, órgão de gestão e disciplina dos juízes, encerrou o processo disciplinar aberto ao desembargador com aplicação da pena de expulsão de funções.

O juiz é um dos 14 arguidos no processo Operação Lex por indícios de corrupção e tráfico de influências, num caso em que são investigadas as relações de Rui Rangel com empresários, incluindo do mundo futebol.

"É uma vergonha para a justiça e um escândalo para a democracia"

Em setembro, o comentador da SIC Luís Marques Mendes disse que o juiz Rui Rangel, que é acusado de vários crimes, não devia exercer a profissão enquanto não fosse julgado.

"Falta coragem" para afastar juiz Rui Rangel

Na mesma altura, Ana Gomes considerou que faltava coragem para afastar o juiz. A ex-eurodeputada disse que era incompreensível que o juiz da Relação tivesse em mãos processos de corrupção quando ele próprio estava acusado desse crime.

Com Lusa