País

Recusado pedido de libertação de Rosa Grilo

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

A defesa da mulher de Luís Grilo já garantiu que vai recorrer da decisão.

Foi recusado esta quarta-feira o pedido de libertação de Rosa Grilo. Os juízes do Tribunal de Loures decidiram que a arguida vai continuar a aguardar julgamento em prisão preventiva.

Amante libertado após 15 meses de prisão preventiva

António Joaquim, acusado da morte do triatleta em coautoria com Rosa Grilo, foi libertado com termo de identidade e residência na sexta-feira.

Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República informou que o despacho da juíza que libertou o amante de Rosa Grilo contém irregularidades, nomeadamente a de não fundamentar a decisão. O Ministério Público informou entretanto que vai pedir a anulação da libertação de António Joaquim.

Defesa do amante de Rosa Grilo acredita na absolvição

Depois da saída do cliente, o advogado Ricardo Serrano Vieira disse que acredita que a revisão da medida de coação pode significar a absolvição de António Joaquim.

O Ministério Público atribuiu a António Joaquim a autoria do disparo sobre Luís Grilo, na presença de Rosa Grilo, no momento em que o triatleta dormia no quarto de hóspedes na casa do casal, em Vila Franca de Xira.

Os dois arguidos conhecem o acórdão a 10 de janeiro de 2020

Nas alegações finais, o Ministério Público pediu pelo menos 20 anos de prisão. A defesa continua a acreditar na absolvição e a advogada de Rosa Grilo diz mesmo que recorrerá em caso de condenação.