País

Função Pública marca greve nacional para 31 de janeiro

Sindicalistas da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais assinalaram com uma concentração a greve nacional de trabalhadores dos Hospitais E.P.E, em frente ao Ministério da Saúde em Lisboa.

Tiago Petinga

Fesap marca greve no mesmo dia que a Frente Comum, a CGTP, e a Fenprof.

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) anunciou esta terça-feira uma greve nacional para dia 31 contra a proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) que considera ser "ofensiva" e "inaceitável" por prever aumentos salariais de 0,3%.

O protesto foi anunciado pelo dirigente da Fesap, José Abraão, em conferência de imprensa, em Lisboa, e coincide com o dia da manifestação nacional marcada pela estrutura da CGTP, a Frente Comum, e com a greve de professores convocada pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

"A Fesap recusa a ideia de que a proposta de Orçamento do Estado para 2020 esteja fechada antes da votação final global que terá lugar a 06 de fevereiro e consubstanciará as reivindicações dos trabalhadores em ações de luta que incluem, entre outras, a greve do dia 31 de janeiro", lê-se no comunicado distribuído aos jornalistas.

José Abraão, que já tinha admitido à Lusa avançar para a greve no dia 31, afirmou que "esta vai ser uma grande greve", que abrange "todos os trabalhadores da administração pública".