País

Advogada de Rosa Grilo não compreende diferença de critérios

A viúva foi condenada a pena máxima pelo homicídio do triatleta Luís Grilo e António Joaquim absolvido do crime de coautoria do homicídio.

A advogada de Rosa Grilo queixa-se de a fundamentação da sentença utilizar várias expressões que demonstram não haver certezas absolutas.

Tânia Reis não compreende ainda porque houve diferenças de sentença em relação aos dois arguidos.

A condenação

O tribunal de júri condenou Rosa Grilo a 24 anos de prisão pelo homicídio qualificado na forma consumada do marido, a um ano e 10 meses de prisão por profanação do cadáver e a 18 meses de prisão por detenção de arma proibida, o que, em cúmulo jurídico, resultou na pena máxima de 25 anos de prisão.

Em liberdade desde dezembro, António Joaquim, o amante de Rosa Grilo, foi absolvido do crime de coautoria do homicídio, mas foi condenado a dois anos de prisão, com pena suspensa, por posse de arma proibida.

Veja também: