País

Centeno e os 1.664 dias como ministro das Finanças: “Foi uma enorme honra”

Mário Centeno considera a sua saída o fim de um ciclo longo para a história da democracia portuguesa.

A exoneração de Mário Centeno foi aprovada esta terça-feira pelo Presidente da República e acontece a 15 de junho, segunda-feira, altura em que toma posse João Leão.

Em conferência de imprensa, o ministro das Finanças afirmou ter sido uma “enorme honra” responder aos desafios que lhe foram colocados desde 2014 e elogia a coesão e liderança do Governo, dizendo que isso se reflete nos resultados.

Mário Centeno considera que este é o fim de um ciclo longo para a história da democracia portuguesa, em que esteve 1.664 dias como ministro, com a pasta da Finanças, e acumulou 900 dias na presidência do Eurogrupo.

Sobre o seu sucessor, João Leão, diz que é o “factor de continuidade de um trajeto que Portugal merece”.