País

António Vitorino e Seixas da Costa estarão a ser investigados no processo EDP

EDP

Eloy Alonso

No despacho do Ministério Público, que pede o agravamento das medidas de coação de Mexia, Manso Neto e João Conceição, surgem suspeitas de que estes arguidos levaram o antigo ministro António Vitorino e o ex-embaixador Seixas da Costa para a esfera da EDP.

O antigo ministro António Vitorino e o ex-embaixador Seixas da Costa estarão a ser investigados no chamado processo EDP.

A notícia é do jornal Observador que teve acesso ao despacho do Ministério Público que pede o agravamento das medidas de coação de António Mexia, João Manso Neto e João Conceição.

No documento surgem suspeitas de que estes arguidos levaram Vitorino e Seixas da Costa para a esfera da EDP, onde terão desempenhado papel de destaque em matérias relacionadas com a elétrica, nomeadamente na questão dos Contratos de Manutenção de energia e na construção da barragem do Foz Tua, ambos investigados no processo crime.

Vitorino foi presidente da Assembleia Geral da Holding da EDP entre 2013 e 2018. Seixas da Costa é administrador não executivo da EDP Renováveis desde 2016.

Ao Observador, António Vitorino rejeita qualquer conflito de interesses. Seixas da Costa diz que é uma insinuação inqualificável.