País

Processo BPP. João Rendeiro considerado culpado por falsificação de documento

O tribunal deu como provada a falsidade informática.

João Rendeiro, o ex-presidente do BPP, foi condenado a 5 anos e 8 meses de prisão efetiva pelo Tribunal da Relação.

O acórdão da Relação de Lisboa fala em flagrante violação dos mais elementares princípios da transparência, boa fé e lealdade, e de uma personalidade avessa ao direito e aos valores que regem uma sociedade.

Com a colaboração dos dois ex-administradores também condenados, Paulo Guichard e Salvador Fezas Vital, mascarou a contabilidade do banco, escondendo prejuízos dos relatórios e contas.

O objetivo era dar uma aparência de robustez financeira ao banco que anos mais tarde acabou por ser ajudado pelo Estado.

Veja também: