País

Exames Nacionais. Notas entre 19 e 20 valores quase duplicaram este ano

Francisco Seco

Mais de 15 mil provas tiveram mais de 19 valores.

As notas entre os 19 e os 20 valores quase duplicaram este ano, segundo o Jornal Público, em relação a 2019.

Os alunos do 11º e 12º anos estiveram quase dois meses em casa, com ensino à distância, e regressaram à escola em maio, com todas as regras a que a pandemia obriga.

Na altura da inscrição puderam escolher os exames nacionais que queriam fazer, de acordo com as disciplinas específicas pedidas pelas instituições do ensino superior. A intenção era "diminuir pressão" para os estudantes do 11.º e 12.º anos durante a época de exames, que iria decorrer "numa altura de muitas contingências"

Ou seja, os alunos puderam optar por fazer apenas os exames nacionais necessários para se candidatarem ao curso pretendido, o que segundo alguns professores pode ser uma das causas para que mais de 15 mil provas tivessem nota superior a 19 valores, quase o dobro das do ano passado.

Outra questão que os professores apontam é a alteração na estrutura dos exames, nomeadamente os grupos de questões opcionais em que só contavam para nota as respostas mais cotadas

Médias nos exames nacionais sobem, exceto em duas disciplinas

As médias nos exames nacionais deste ano subiram em todas as disciplinas em relação ao ano passado, com exceção de duas provas, segundo dados oficiais divulgados no dia 3 de agosto.

De acordo com os dados do Júri Nacional de Exames, divulgados pelo Ministério da Educação, as notas médias nos exames do 12.º ano realizadas pelos alunos internos (aqueles que frequentaram as aulas em todo o ano letivo) subiram este ano em quase todas as disciplinas, com algumas a registarem um aumento superior a três valores.

AS DISCIPLINAS COM MAIOR SUBIDA DA MÉDIA

Na prova de Biologia e Geologia, a mais realizada este ano e importante para os alunos que querem entrar em Medicina, a média aumentou em 3,3 valores, registando uma classificação média de 14 valores.

Também em Física e Química os alunos conseguiram melhorar os resultados em relação ao ano anterior em 3,2 valores, passando a nota média dos 10 valores para os 13,2 valores.

A maior subida foi registada em Francês, que passou dos 11,3 valores em 2019 para os 15,1 (mais 3,8 valores), seguida de Alemão com 16,1 valores (mais 3,5), Geografia A com 13,6 valores e Biologia e Geologia (ambas registaram mais 3,3 valores).

MÉDIA DE OUTRAS DISCIPLINAS

Português e Matemática A, duas das provas mais importantes, registaram também melhorias, ainda que não tão significativas: a Português a média subiu dos 11,8 valores em 2019 para os 12 valores, e a Matemática subiu dos 11,5 valores para os 13,3 valores.

A média mais elevada foi registada em Mandarim (iniciação), com os seis alunos que realizaram a prova a conseguirem uma classificação média em exame de 16,9 valores.

Entre as disciplinas com um número de alunos superior a 2.500, foi a Inglês que os estudantes conseguiram a melhor classificação média, com 15 valores.

História A e História da Cultura das Artes voltaram a subir este ano, depois de em 2018 terem registado uma queda para valores negativos, registando agora uma média de 13,4 valores e 13,6 valores, respetivamente.

NOTAS DE GEOMETRIA A E MACS DESCEM

Em tendência oposta, as únicas descidas registaram-se nos resultados das provas de Geometria Descritiva A, cuja classificação média caiu em 2,3 valores, e em Matemática Aplicada às Ciências Sociais, que registou este ano a única classificação média negativa: 9,5 valores, menos 1,5 em relação a 2019.

Este ano os exames realizaram-se em 643 escolas de todo o território nacional e nas escolas no estrangeiro com currículo português, com 257.330 inscrições na primeira fase dos exames nacionais (menos 70.300 em relação a 2019) e 227.962 provas realizadas (menos 93.871).