País

Os nomes que fazem parte do novo Conselho Consultivo do PSD

Nacho Doce

Conselho Consultivo tem como principal função "debater as prioridades políticas para o país".

O PSD anunciou esta quinta-feira a constituição de um novo conselho consultivo do partido constituído por 29 elementos, em que figuram vários antigos ministros, entre eles Daniel Bessa e Miguel Cadilhe, e o ex-comissário europeu Carlos Moedas.

Este elenco consultivo vai funcionar em articulação com o Conselho Estratégico Nacional (CEN) do PSD e será presidido por David Justino, "vice" da direção do partido liderado por Rui Rio.

"O Conselho Consultivo tem como principal função debater as prioridades políticas para o país, nas respetivas áreas de intervenção, colaborando, assim, para o trabalho a realizar pelo CEN de preparação de um programa político alternativo para o Portugal, com o envolvimento e participação da sociedade civil", lê-se numa nota divulgada pelo PSD.

Entre os 29 nomes deste organismo, destaque para as presenças de Daniel Bessa, que foi ministro da Economia de um Governo socialista liderado por António Guterres, e de Miguel Cadilhe, ministro das Finanças dos primeiros dois dos três executivos chefiados por Cavaco Silva (1985/1990).

Além de Daniel Bessa e de Miguel Cadilhe, integram este órgão mais seis antigos ministros: Carlos Borrego, Mira Amaral, Luís Filipe Pereira, Miguel Poiares Maduro, Pedro Lince e Pedro Roseta.

Ainda no que respeita a antigos membros de governos, neste órgão de consulta dos sociais-democratas estão cinco secretários de Estado de diferentes executivos sociais-democratas: Carlos Moedas, ex-comissário europeu; José Nunes Liberato, que foi chefe da Casa Civil do anterior Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva; Luís Pais de Sousa, Luís Todo Bom e Maria do Céu Ramos.

O PSD também convidou para este organismo de consulta o antigo deputado socialista (1995/1999) e ex-candidato presidencial Henrique Neto.

No Conselho Consultivo do CEN do PSD figuram ainda, entre outros elementos, o antigo líder parlamentar social-democrata Pacheco Pereira, o médico Manuel Antunes e o presidente do Instituto Sá Carneiro, Luís Alves Monteiro.