País

13 de outubro. Empresários consideram que Santuário de Fátima podia receber mais peregrinos

Rafael Marchante

Associação diz que peregrinos não vão para o recinto com "comportamentos efusivos".

A presidente da Aciso - Associação Empresarial Ourém-Fátima, Purificação Reis, disse esta quinta-feira que o Santuário de Fátima poderia ter uma lotação superior a 6.000 pessoas na peregrinação do 13 de outubro.

"Na perspetiva dos empresários, o número apontado dos 6.000 ficou muito aquém do esperado. O recinto do Santuário tem condições para receber um número muito mais elevado de peregrinos em absoluta segurança", referiu Purificação Reis, antes de um jantar com o Presidente da República, em Fátima, no concelho de Ourém, distrito de Santarém.

Admitindo que "terão existido argumentos" que desconhece e que "levaram à fixação desse valor", a empresária considerou que 6.000 peregrinos "é um número que se consegue ter no Santuário de Fátima em qualquer sábado ou domingo de um outro fim de semana".

Peregrinos "vão num espírito de oração"

A presidente da Aciso sublinhou ainda que os visitantes do Santuário não vão para o recinto com "comportamentos efusivos".

"Vão num espírito de oração, consigo próprios. Portanto, com todas as preocupações, cumprindo todas as regras, penso que existiriam condições para uma peregrinação com um número muito maior de peregrinos e em absoluta segurança", reforçou.

Purificação Reis constatou que o 13 de outubro "seria a última grande peregrinação" e seria "desejável para este território" uma afluência de visitantes.

"Os empresários têm passado estes momentos particularmente difíceis e contavam com esta peregrinação com um volume superior de peregrinos a visitarem-nos. Temos que nos adaptar às condições existentes e fazer o nosso caminho da melhor forma possível", resignou-se.

Fátima "depende essencialmente do turista estrangeiro"

No jantar com Marcelo Rebelo de Sousa, a presidente da Aciso vai lembrar que Fátima tem "um turismo que depende essencialmente do turista estrangeiro, que são 71% do total de turistas que visitam Fátima".

"De março a julho os dados estatísticos apontam para quebras superiores a 90% e, portanto, é lógico que os empresários estejam a viver momentos particularmente difíceis. O facto do senhor Presidente da República aceder a visitar-nos e a falar connosco mostra uma atenção a este segmento do turismo religioso tão importante para Portugal e ajuda-nos a dar voz às nossas preocupações", destacou.

Purificação Reis espera "despertar a atenção" do Governo através de Marcelo Rebelo de Sousa, "para que possam existir algumas medidas de apoio à manutenção dos postos de trabalho e das empresas até se conseguir em 2021, esperemos, começar a sentir-se alguns sinais de retoma."