País

Voluntariado nos hospitais começa a retomar lentamente

Rui Flórido

Rui Flórido

Repórter de Imagem

Vítor Moreira

Vítor Moreira

Editor de Imagem

Projetos de voluntariado com doentes oncológicos estiveram suspensos.

No Centro Hospitalar de Gaia, várias ações de voluntariado tiveram de ser suspensas durante o confinamento, principalmente aquelas que obrigavam a contacto direto com os doentes. O voluntariado do hospital é responsabilidade da Liga dos Amigos do Hospital de Gaia.

Um dos projetos que teve de se adaptar aos novos tempos foi o Mamamove, treino de exercício físico para mulheres com cancro da mama e que estejam a realizar quimioterapia. Ao todo já participaram 40 mulheres e há já mais cinco inscritas. Treinos presenciais já foram retomados, mas as sessões em grupo agora são individuais.

Em Gaia, também já foram retomadas as aulas de yoga e os pequenos-almoços.

No IPO do Porto, de março a junho, todo o voluntariado esteve parado. Começa agora lentamente a ser retomado, mas ainda a uma pequena escala.
Dos 500 voluntários da Liga Portuguesa Contra o Cancro apenas 10 puderam regressar ao hospital.

Desde setembro que o IPO voltou a receber por dia mais de 2.000 doentes. O voluntariado no hospital fixa-se agora no apoio e acolhimento dos doentes e acompanhantes e também na distribuição de leite e bolachas, um dos serviços que os doentes mais sentiram falta.

Há 40 anos que a Liga Portuguesa Contra o Cancro é uma das associações responsáveis pelo voluntariado no hospital.