País

PSD anuncia queixa-crime contra Costa por acusação "delirante" a três sociais-democratas

Nacho Doce

Duras críticas ao primeiro-ministro.

O PSD vai apresentar uma queixa-crime contra o primeiro-ministro, depois de António Costa ter acusado Paulo Rangel, Miguel Poiares Maduro e Ricardo Batista Leite de estarem envolvidos numa campanha para denegrir a imagem externa do país.

"As declarações de António Costa, ao afirmar a existência de uma campanha contra o nosso país, sem justificação ou fundamentação, revelam sem margem para dúvida um exercício delirante e inaceitável das funções de primeiro-ministro", criticou hoje o partido, num comunicado da Comissão Permanente do PSD, núcleo duro da direção.

O partido considera que "a acusação individualizada de três destacados militantes do PSD, agrava essa irresponsabilidade e justifica a apresentação de uma queixa crime contra o primeiro-ministro, junto do Ministério Público".

O primeiro-ministro apontou hoje o dedo a Paulo Rangel, Poiares Maduro e Baptista Leite. António Costa acusou-os de liderarem uma campanha internacional contra Portugal.

Miguel Poiares Maduro respondeu às acusações de António Costa de que estaria a conspirar contra o país.

“Um primeiro-ministro confundir a crítica ao seu Governo com uma crítica e uma conspiração contra o país é profundamente anti-democrático”, afirma Poiares Maduro, antigo ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional.

O social-democrata considera que António Costa o ameaçou e afirma que é a conspiração contra o Governo português é fruto da “sua imaginação”.

“Estamos a criticar um processo que ocorreu com falhas graves e, do meu ponto de vista, implicam responsabilidades políticas. Concordando-se ou não com a minha posição, o primeiro-ministro tem de respeitar o meu direito à crítica e não o pode transformar numa conspiração contra o país”, sublinha.