País

PSD e CDS com princípio de acordo para uma coligação nas próximas eleições autárquicas

E ambos recusam coligações com o Chega.

Os presidentes do PSD e do CDS-PP anunciaram hoje que irão assinar até meio de fevereiro um acordo-quadro para as autárquicas que exclui a possibilidade de coligações com o Chega.

No final de uma reunião de cerca de hora e meia, Rui Rio e Francisco Rodrigues dos Santos não quiseram referir-se nem a municípios concretos nem balizaram o número de coligações pré-eleitorais que esperam alcançar, que estará dependente da vontade das estruturas locais e da aceitação das direções nacionais.

"Este acordo não vai dizer que só há coligações com o CDS e com mais ninguém (...) A única questão que estamos de acordo é que não haverá com o Chega, mas tirando o Chega logo se verá", explicou Rui Rio, salientando que "há muito" que rejeitou essa hipótese e que esta posição nada tem a ver com os resultados das presidenciais.

Na mesma linha, também Francisco Rodrigues dos Santos disse já ter sido "perentório" que "não haverá coligações com o Chega, nem em autárquicas nem em legislativas".

Este foi o segundo encontro público entre Rui Rio e Francisco Rodrigues dos Santos, à frente do CDS-PP há precisamente um ano. O primeiro aconteceu em 13 de fevereiro e os dois líderes manifestaram então uma vontade de convergência dos dois partidos quanto às autárquicas deste ano, mas também noutras matérias, como as reformas do sistema eleitoral, da justiça ou da segurança social.