País

"Senti as portas todas a bater". Sismo de magnitude 3.4 registado na região de Lisboa

Westend61

Abalo sísmico com epicentro a oito quilómetros a leste de Loures.

Um sismo com magnitude 3.4 na escala de Richter foi sentido hoje na região de Lisboa, com epicentro a oito quilómetros a leste de Loures e a uma profundidade de nove quilómetros, segundo o IPMA.

Testemunhas no bairro da Alvalade relataram à SIC Notícias terem sentido um abalo pelas 9h50..

"Não senti o chão [a tremer] mas senti as portas todas a bater", conta Leonor Cruz.

Catarina Ariztía, também moradora em Alvalade, afirma ter sentido "uma tontura" antes de perceber que se tratava de um sismo.

Não muito longe, na Av. 5 de Outubro, Cláudia Correia diz que foi das poucas pessoas no edifício onde trabalha que percebeu que o que tinha sentido tinha sido mesmo um pequeno terramoto.

"Foi uma sensação estranha porque foi muito rápido e fiquei na dúvida se seria um tremor de terra. Fui ter com as minhas colegas que me disseram que não sentiram. Cheguei a ter a sensação de estar maluca", confessa.

Outros relatos dão conta de que o abalo foi sentido em vários concelhos da região Lisboa, como Loures, Odivelas e Amadora.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) o terramoto foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente com epicentro a cerca de 8 km a leste de Loures.

IPMA

Os sismos são classificados segundo a sua magnitude:

  • micro (menos de 2,0)
  • muito pequeno (2,0-2,9)
  • pequeno (3,0-3,9)
  • ligeiro (4,0-4,9)
  • moderado (5,0-5,9)
  • forte (6,0-6,9)
  • grande (7,0-7,9)
  • importante (8,0-8,9)
  • excecional (9,0-9,9)
  • extremo (superior a 10)

Sismo sentido em Lisboa ocorreu na mesma zona dos grandes abalos de 1531 e 1909

O sismo hoje sentido na região de Lisboa ocorreu numa zona sismicamente ativa do vale inferior do Tejo que foi responsável por alguns sismos históricos como os de 1531 e o de Benavente, em 1909.

Em declarações à agência Lusa, o chefe de divisão de geofísica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Fernando Carrilho, disse que o sismo, de magnitude 3.4 na escala de Richter e que teve uma intensidade estimada de IV (na escala Mercalli modificada), ocorreu numa zona que "tem historial de geração de sismos de magnitudes razoavelmente superiores" à verifica no abalo de hoje.

"Estamos a falar de um [sismo] 3.4. À partida é um sismo pequeno, mas como ocorre muito próximo de zonas densamente habitadas acaba por ser percecionado pelas pessoas", explicou.